A importância dos primeiros socorros psicológicos

Primeiros socorros psicológicosOs desastres e catástrofes acontecem inesperada e repentinamente e podem ser definidos como situações ou eventos que superam a capacidade de recursos e assistência local, que causam grandes danos, destruição e sofrimento humano.

 

Choque e negação são respostas típicas a eventos traumáticos e desastres, principalmente logo após a ocorrência, sendo que ambas são reacções normais de defesa e protecção. No entanto, são diversas as respostas normais a acontecimentos traumáticos – desde irritação e mudanças de humor frequentes, lembranças vívidas do evento (flashbaks) que podem também manifestar-se através de sintomas físicos, alteração dos padrões de sono e de alimentação, dificuldades na tomada de decisão ou até isolamento e retirada da pessoa das suas rotinas e actividades habituais.

 

Compreendermos e ajudarmos as pessoas afectadas a compreender as respostas normais a eventos deste tipo pode fazer com que estas lidem de forma mais eficaz e adaptativa com os seus sentimentos, pensamentos e comportamentos. É igualmente importante perceber que não existe uma reacção típica a uma experiência traumática – algumas pessoas reagem no imediato enquanto que outras podem ter reacções tardias; alguns sentem os efeitos adversos do evento traumático por um longo período de tempo, enquanto que outros recuperam rapidamente. Geralmente, um dos factores que influencia o tipo e duração da resposta é o grau de intensidade e de perda da catástrofe, ou seja, quanto mais ameaçador o evento (envolvendo perda de vida e/ou de bens materiais), maior o impacto negativo nas pessoas afectadas.

 

É neste sentido que os Primeiros Socorros Psicológicos se revelam de extrema importância em eventos traumáticos e situações de catástrofe, podendo minimizar o impacto e stress inicial causado pelos mesmos e ajudar as pessoas a desenvolver estratégias de coping funcionais de curto e longo prazo. Os Primeiros Socorros Psicológicos são protocolos de intervenção propostos pelo National Center for PTSD e com guidelines já publicadas pela Organização Mundial de Saúde, que têm como objetivo padronizar o atendimento às vítimas com base em evidências sobre reações agudas ao stress. Tais intervenções podem ser iniciadas imediatamente após a ocorrência de desastres e são direccionadas a crianças, adultos e famílias afectadas direta ou indiretamente. Este tipo de resposta passa por oferecer apoio e cuidado práticos não invasivos, avaliar necessidades e preocupações, ajudar as pessoas a suprir as suas necessidades básicas e na busca de informações, serviços e suportes sociais, e proteger as pessoas de danos adicionais.

 

Importa ter em conta que este tipo de intervenção pode, por vezes, não ser suficiente. Quando vítimas ou familiares apresentam reacções adversas prolongadas no tempo, devem recorrer a um profissional de saúde mental, no sentido de encontrar formas construtivas para lidar com esse impacto emocional negativo.

Mafalda Sousa
Mafalda SousaPsicóloga Clínica
2017-06-21T14:06:19+00:00 Junho 21st, 2017|Mafalda Sousa, Trauma|
Translate »