A intolerância à incerteza é uma alergia psicológica

Enquanto humanos sabemos que o futuro existe, embora não saibamos o que vai acontecer especificamente. E esta incerteza pode levar a níveis de ansiedade extremos.

Habitualmente, as pessoas preferem a certeza à incerteza. Há estudos que demonstram que grande parte de nós preferiria apanhar um choque elétrico agora mesmo em vez de o apanhar mais tarde, tendo que aguardar por um momento imprevisto! Onde diferimos é no grau com que a incerteza nos perturba, podendo colocar-nos num continuum de preocupação. Num dos extremos deste continuum estaria o mínimo de ansiedade perante a imprevisibilidade dos acontecimentos e, num outro, os estados patológicos de ansiedade, como, por exemplo, a Perturbação de Ansiedade Generalizada.

Michael Dugas, um professor de psicologia da Universidade do Québec, compara a intolerância à incerteza extrema a uma reação alérgica: “Se é alérgico a frutos secos e come uma fatia de bolo com um pouco de amêndoas, terá uma reação física violenta. Uma pequena quantidade de uma substância inofensiva para a maioria das pessoas [a incerteza] provoca uma reação violenta em si. É como uma alergia psicológica”.

De facto, esta reação é tão má que fará de tudo para a evitar! Poderá mesmo preocupar-se para “ter certezas”, procurará todos os tipos de informação e soluções possíveis para todos os problemas com que se deparar… Mas, mesmo assim, a única resposta que será aceitável para si é a certeza absoluta e acabará por rejeitar quase todas as respostas, porque não são suficientemente perfeitas nem suficientemente securizadoras, certas…

Em última instância, não há forma de escapar à incerteza! Por mais que faça, que procure, que se preocupe, nunca há de ter a certeza de que necessita acerca do que o futuro lhe reserva… Então, o que pode fazer?

  • Questione-se a si mesmo acerca das vantagens em aceitar a possibilidade da incerteza. Será que isto o ajudaria a estar menos ansioso, menos preocupado e a mais disponível para usufruir do momento presente?
  • Há desvantagens em aceitar a incerteza? Isso faz de si irresponsável ou coloca-o em perigo? Ou serão estas avaliações exageradas e irracionais?
  • Pense em amigos que conhece bem e que não se preocupam tanto…Como vivem esses seus amigos? Considera que são irresponsáveis ou que não sabem manter-se em segurança?
  • Será que a incerteza pode ter vantagens?! Note que a incerteza lhe traz novidades, boas surpresas, desafios novos e estimulantes!
  • Foque na resolução dos problemas reais em vez de antecipar possíveis soluções para aqueles que ainda não existem!
  • Pratique mindfulness, pequenos exercícios que o tragam para o momento presente. Se estiver alguns minutos por dia apenas com a sua respiração, no aqui e agora, as suas preocupações desaparecerão durante esses instantes…

 

Finalmente, lembre-se que, mesmo que não tenha dado conta, já há algum grau de incerteza com que consegue viver todos os dias… Por exemplo, quando conduz, quando vai a um restaurante, quando interage com alguém desconhecido, quando vai de férias para um novo sítio, quando inicia um projeto no emprego… não serão estes momentos onde aceita a incerteza?!

E sabe até que ponto é alérgico à incerteza?

Andreia Cabral
Andreia CabralPsicóloga Clínica
Mostrar mais Artigos
2017-05-26T11:38:54+00:00 Maio 26th, 2017|Andreia Cabral, Ansiedade Generalizada|
Translate »