Afinal quem manda? Você ou os seus fantasmas?

Afinal quem é que manda?O seu dia é dominado pelo seus pensamentos e a qualidade da sua vida depende deles!

Concorda?  Ou ainda tem dúvidas?

E quem é que  comanda os seus pensamentos? Os fantasmas que residem na sua cabeça e que falam teimosamente consigo ao longo do seu dia, que dominam o seu diálogo interior como interlocutores omnipresentes e determinados a não o deixar em silêncio um segundo que seja, ou você mesmo?

 

Já pensou fechá-los na gaveta e perder a chave?

Também não me parece a melhor solução, porque ficam a fazer muito barulho e não o vão deixar dormir 🙂

 

Pois é, cada um tem aquilo que merece; ou seja, cada um tem os fantasmas que alimenta e que

    • dominam o seu diálogo interior;
    • destroem as suas boas intenções;
    • o impedem de ter paz de espírito;
    • minam a qualidade da sua vida a nível pessoal e profissional;
    • lhe retiram o foco e o fecham num beco sem saída.

 

Ou talvez não…..

E a paz na terra começa com a sua paz de espírito, o que para si nem sempre parece possível.

 

Os seus pensamentos determinam as suas atitudes e consequentemente as suas escolhas. E a vida depende dessas escolhas, o que por vezes até é uma actividade muito cansativa, mesmo hercúlea, e tudo isto se pode tornar num inferno, ou não, mas só depende de si.

 

Os fantasmas que conversam consigo ao longo do dia são o seu pior inimigo, mas se reflectir sobre o assunto pode chegar à conclusão que pode coabitar com eles sem grandes tormentos, basta que se imponha e que lhes comunique as suas preferências. Cabe-lhe a si ouvi-los ou não lhes dar confiança e seguir o seu caminho.

Ora vejamos:

 

Crenças e condicionamentos mentais existem e a maioria das pessoas querem ter sempre mais e melhor, esquecendo-se de se sentir gratas por tudo o que têm (e que na generalidade é muito mais do que a grande maioria da humanidade alguma vez possuiu); tem opinião firme sobre os outros e sobre quase tudo o que se passa, esquecendo-se de ter uma opinião sobre si próprio. Tudo isto torna muito fácil esquecer-se das coisas simples da vida, conseguir ter paz de espírito e de iniciar essa busca dentro de si próprio, coabitando com os seus fantasmas e batendo o pé quando estes o atormentam com pensamentos tóxicos, irritantemente persistentes e cada vez mais retorcidos.

Ter pensamentos tóxicos não é incomum e sentir-como um hamster na roda, sem ver saída à vista, também não. Mas o hamster sai da roda, onde até parece divertir-se, se tiver um bom estímulo externo! E você? O que é que faz?

 

A mudança faz parte integrante da vida! As nossas crenças não são mais do que opiniões e a tomada de consciência de que algum dos seus fantasma residentes, que fala consigo durante todo o dia, pode ser posto aos seu serviço, se pode transformar no seu melhor amigo, não lhe é apelativa?

 

Já reparou que há uma diferença enorme entre conhecimento e informação?

Pois é, geralmente o conhecimento prende-se com a experiência direta, com o que sentimos na pele, como se costuma dizer, e adoramos formar e expressar opiniões sobre tudo aquilo de que somos informados. Mas será essa informação de confiança? E as fontes são seguras? E como é que os seus fantasmas residentes tratam essa informação?

 

Se não consegue viver com os seus fantasmas, nem fechá-los na gaveta, deixando só o Casperzinho que o pode ajudar a limpar os seus pensamentos tóxicos, então um coach pode ser o seu melhor terapeuta de fantasmas.

Emília Alves
Emília AlvesCoach
Mostrar mais Artigos
2017-06-25T10:43:01+00:00 Junho 25th, 2017|Coaching, Emília Alves|
Translate »