Ainda à espera de Letícia?!

Sobre felicidade, metas e propósitos

a espera de leticia

No final do ano escrevi um texto denominado à espera de Letícia no qual refleti sobre as alegrias e frustrações passadas, além da busca por um novo ano dentro e fora de nós. Como disse antes, aprendi que Letícia ou Letizia é uma das palavras que os italianos usam para denominar alegria, “é aquela positividade que permanece em nós, independente das circunstâncias, como um entusiasmo, uma alegria plena”.

 

O dia 20 de Março, considerado Dia internacional da Felicidade, me fez repensar o tema. Aqui estamos nós, três meses depois do início deste ano com suas novas e velhas dores e delícias. Até o Carnaval, tido no Brasil como a grande festa da alegria e que alguns dizem marcar o real início do ano no país… já passou. Então, me pergunto, ainda estamos à espera de Letícia?

 

Temos experimentado e vivido o que almejamos e podemos viver agora? Estamos construindo nossas histórias de acordo com nossos propósitos ou temos confundido expectativas irreais com ações pautadas na nossa esperança? Para não termos que aliviar a dor do “se” não vivido, abordado no primeiro texto, se não estamos no rumo do que realmente é importante para nós, é hora de recalcularmos nossa rota!

 

Chegou a fazer seu velho/novo planejamento? Se não, que tal fazê-lo agora? Sempre é hora de iniciar um novo ano em nós! Se sim, essa pode ser uma oportunidade para retomá-lo, celebrar os pontos alcançados, checar os desvios pelo caminho e rever os rumos a serem seguidos. É hora do monitoramento, essencial para qualquer plano de ações de sucesso no trabalho e na vida pessoal.

 

Você pode dizer, mas ainda nem passaram os três primeiros meses?! E as metas de curto prazo? Aquelas que ao realizarmos nos dão aquela sensação de dever cumprido, empoderamento e força para alçarmos voos maiores. Aliás, é importante rever se suas metas são Mensuráveis (podem ser medidas e monitoradas), Específicas (claras e objetivas), Temporais (com prazos para realização), Atingíveis (realistas e possíveis de serem conquistadas de forma gradativa) e Significativas (ou relevantes). Se elas não existem ou não tem alguns destes critérios é hora de revê-las a fim de conquistar seus objetivos.

 

Por outro lado, há também aqueles que afirmam não perceber o sentido de fazer metas, traçar planos, nem mesmo de viver. Contudo, não estamos falando aqui desta atual “obrigação de ser feliz”, seja lá que felicidade é essa que por vezes está mais na estampa do que na alma. A nossa busca aqui é por esse “estado de Letícia”, que independe das circunstâncias e tem seu caráter de plenitude, apesar dos pesares da vida. Estamos falando de estabelecermos e revermos as metas que traçamos de acordo com propósitos mais amplos que condizem com o sentido atual de nossas vidas em busca dessa tal felicidade ou do que mais cada um almejar.

 

O que o ser humano realmente precisa não é um estado livre de tensões, mas antes a busca e a luta por um objetivo que valha a pena, uma tarefa escolhida livremente. O que ele necessita não é a descarga de tensão a qualquer custo, mas antes o desafio de um sentido em potencial à espera de ser cumprido“. Essa afirmação foi feita por Viktor Emil Frankl, um médico que passou pelas duas grandes guerras mundiais, viveu os horrores de quatro campos de concentração e sobreviveu para continuar a difundir o tema do sentido da vida e criar a Logoterapia (de forma simplificada, significa “Terapia do Sentido”).

 

Pedras no caminho? A Oficina de Psicologia pode te ajudar a (re)encontrar novos sentidos e propostas para a vida através do Grupo de Propósito. Também podemos treinar a atenção, diminuir a ansiedade e auxiliar você a estar realmente presente através das práticas dos grupos de Mindfulness, além de emagrecer com saúde e a ajuda da ciência, com o programa Emagrecendo com o cérebro.

Como afirma Gonzaguinha na música “Nunca Pare de sonhar”… “Vamos lá fazer o que será?!”.

Afinal, ainda há nove meses pela frente para gestarmos e vivermos um novo ano repleto de Letícia!

Carolina Peixoto
Carolina PeixotoPsicóloga/Psicodramatista e Terapeuta de EMDR
Mostrar mais Artigos
2017-04-17T12:52:38+00:00 Abril 17th, 2017|Carolina Peixoto, Desenvolvimento Pessoal, OP BH Brasil|