Antidepressivo? Mas eu não estou deprimido!

Há uns dias consultei um paciente que ficou muito surpreendido por ser medicado com um antidepressivo, tendo eu acabado de explicar que sofria de uma perturbação de ansiedade. Bem, tem toda a razão em ficar confuso… A culpa é mesmo do rótulo que deram a esse grupo de medicamentos!

Quando os medicamentos são mesmo necessários no tratamento da ansiedade, os antidepressivos são a melhor alternativa de todas. Em muitos casos conseguem resolver a ansiedade de vez. Acontece que os antidepressivos foram originalmente desenvolvidos e testados para tratar a depressão. Daí vem o seu nome! No entanto, descobriu-se mais tarde que as alterações cerebrais da ansiedade são bastante parecidas com as da depressão. Por isso, quando se toma o antidepressivo acertado, corrigem-se as alterações cerebrais responsáveis pela ansiedade. O mais frequente é tratar-se a ansiedade com antidepressivos que regulem os níveis de serotonina.

Por estranho que lhe possa parecer, não está tão correcto tratar-se a ansiedade com calmantes. Costumo explicar que os calmantes são “pensos rápidos”. Atenuam o sintoma mas não tratam a causa da ansiedade. O mais frequente nesses casos é o paciente consumir mais e mais calmantes (por sua iniciativa) porque, com o tempo, deixam de fazer efeito!

Não se surpreenda… Se é ansioso, pode estar mesmo a precisar é de um antidepressivo!

Filipe Freitas PintoFilipe Freitas Pinto

Coordenador da Unidade de Psiquiatria

[h1]Quer marcar consulta de Psiquiatria?[/h1]

[raw][contact-form-7 404 "Not Found"][/raw]

2016-02-28T16:16:19+00:00 Fevereiro 28th, 2016|Artigos, Psiquiatria|