Apertem os cintos: o bebê nasceu!

Apertem os cintos

Existem coisas que ninguém te conta para as futuras mamães. Coisas que outras mães têm receio de falar e de serem criticadas, que não conseguem admitir nem para elas mesmas. Afinal de contas, ter um bebê é o desejo de toda mulher, não é? Ela só poderia estar feliz.

Por meses a gestante e o casal se preparam para o nascimento do filho e após o parto, em apenas alguns dias, levar para casa o seu bebê, que fora um sonho, pode ser bastante desafiador. Entre muitas dúvidas e noites mal dormidas, algumas questões podem não ser aprendidas em livros ou cursos para gestantes.

A gravidez é um momento especial na vida da mulher. Filho planejado ou surpreendido pelos pais, é o momento em que a mãe fica muito envolvida com seu bebê…, mas e seu companheiro? A mulher pode passar por uma verdadeira montanha russa de sentimentos devido às alterações hormonais e de papéis que ela passa a desempenhar. Ela sabe e sente na pele que tudo mudou e que é necessário se reinventar.

A mãe passa por um período de transição que envolve mudanças significativas e uma verdadeira reorganizações do modo da vida anterior, que podem influenciar seu comportamento e sua forma de pensar ao vivenciar a maternidade.

Todas essas transformações na mulher podem trazer experiências de ansiedade, depressão pós-parto, dificuldades para amamentar e outras situações interferindo no relacionamento conjugal, no seu retorno para o trabalho ou até mesmo na relação com seu bebê.

E são muitas visitas, conselhos, dicas e até mesmo simpatias para “curar” o umbigo, amamentar, dar banho. Essas interferências de amigos e familiares, são muitas vezes bem- intencionadas,mas podem causar na mãe pensamentos como se ela fosse incapaz de cuidar bem de seu filho.

Pouco se fala sobre o baby blues, por exemplo: você sabia que a depressão pós-parto pode surgir logo após o parto e até o primeiro ano de vida do bebê? E pouco se fala sobre outras questões que poderiam ajudar as mães a se sentirem menos culpadas e ansiosas.

A Oficina de Psicologia é composta por psicólogos experientes, que são capazes de ajudar as mães e casais. Como? Por meio de psicoterapia breve, os terapeutas desenvolvem a capacidade dos clientes para perceber a maneira como se sente e pensa e a ajuda na reestruturação de crenças positivas e de papéis sociais.

Luciana Biagioni
Luciana BiagioniPsicóloga Clínica
Mostrar mais Artigos
2017-04-24T14:51:58+00:00 Abril 24th, 2017|Crianças & Pais, Família, Luciana Biagioni, OP BH Brasil|