Areias movediças: stress e ansiedade

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Tânia da Cunha

Tânia da Cunha

Sabe-se que, qualquer acontecimento, considerado como inquietante, poderá ser potencialmente modificador da nossa vida. Qualquer um de nós vivencia esses acontecimentos e, de acordo com a vulnerabilidade pessoal, eles podem somaticamente afetar-nos.

Quando determinados acontecimentos ocorrem, ou certas circunstâncias se nos deparam, como situações complexas na nossa vida, elas poderão desenvolver, em nós, ou stress.

É evidente que todos temos emoções, elas fazem parte da condição humana e, embora não sejam, em si mesmas necessariamente prejudiciais, nem se devam evitar, quando são demasiadamente intensas, podem originar turbulência emocional, perturbando, o equilíbrio interno de qualquer pessoa. Neste sentido, deixo-vos algumas ideias que passam por aprender a “lidar com” as areias movediças do stress e da ansiedade:

  • Procure obter o máximo de controlo possível sobre o stressor de acordo com as circunstâncias. Ao mesmo tempo que aceita as restrições da situação, existem provavelmente áreas de liberdade passíveis de serem desenvolvidas.
  •  Treine-se na previsão de situações de stress, de forma a enfraquecer o seu impacto.
  • Centre-se nas tarefas e não deixe que as emoções se sobreponham. As emoções cegam a mente e interferem com a resolução de problemas. Se se trata de uma emoção forte, deve ser primeiramente reconhecida, depois separada do problema, o qual pode então ser avaliado objetivamente.
  • Viva o presente. Isto significa saborear o momento; usufruir da viagem, assim como da chegada. É útil relembrar que o futuro é em grande parte determinado pela forma como tratamos o presente. Muito stress surge a partir do arrependimento pelo passado e do medo do futuro.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

0
  Talvez também lhe interesse: