Auto-estima na quarta idade… A sua importância!

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Cristiana Alves

Cristiana Alves

Independente da idade, uma boa auto-estima favorece a saúde e a auto realização, enquanto uma baixa auto-estima pode causar fobias, medos, dificuldades interpessoais, aflição, insegurança, depressão, falta de realização das próprias potencialidades, exclusão, entre outros.

Ter uma boa auto-estima é fundamental para se desfrutar de um envelhecimento bem-sucedido. Conservar-se íntegro física e psicologicamente, assim como certificar-se da sua adequação do ponto de vista biopsicossocial, tem grande relevância para o idoso.

Os idosos parecem ser mais selectivos nos seus relacionamentos, escolhendo pessoas que confirmem a sua auto-imagem, não lhes interessando fazer contacto com qualquer pessoa. A rede de amizades do idoso pode ser menor em quantidade, porém é melhor do ponto de vista qualitativo, marcada por relações de real afinidade, sinceridade e companheirismo.

Valores sociais sem bases na realidade ou preconceitos acerca do envelhecimento exercem um impacto negativo na auto-estima. A nossa sociedade tem por hábito valorizar o que é jovem, bonito, novo, em detrimento do idoso, que muitas vezes chega a ser erroneamente considerado de velho, incapaz ou mesmo feio. Isto interfere na auto-estima do idoso, já que as suas opiniões acerca de si mesmo podem ficar comprometidas.

É importante estimularmos a auto-estima dos idosos, independentemente se ele está a passar por um processo de envelhecimento saudável ou patológico. Independentemente de todos os seus problemas, ele consegue sentir-se bonito, sentir que a sua presença causa algum tipo de reacção àqueles que o cercam e isto fá-lo sentir-se feliz.

Um idoso com uma boa auto-estima consegue passar melhor pelos declínios do processo de envelhecimento, encontrando em cada etapa do seu ciclo vital mais potencialidades que limitações. Um idoso saudável pode cuidar da sua aparência física, dedicar tempo para fazer coisas que gosta, aprender coisas novas e para tirar partido de uma virtude atingida com o passar dos anos: a sabedoria.

Está comprovada a influência de várias actividades na melhora da auto-estima do idoso. A actividade física aparece com um factor favorável, pois propõe uma modificação no esquema corporal e, consequentemente, na auto imagem e na auto-estima. Com o desempenho deste tipo de actividade idosos prostrados podem vir a tornarem-se mais activos, voltam a andar mais, tornam-se mais flexíveis e voltam a conseguir realizar actividades de vida diária, podem também perder peso, o que contribui para melhorar sua auto-estima. O convívio com a família e os amigos também pode proporcionar experiências enriquecedoras e contribui para uma boa auto-estima no idoso. A música e a dança também são uma boa actividade para o idoso melhorar a auto estima e se sociabilizar.

Os idosos que se aventuram numa relação amorosa só têm a ganhar. Há pesquisas que indicam que o amor é capaz até de melhorar o sistema imunológico do idoso, além de provocar um aumento do dinamismo e da auto-estima.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

0
  Talvez também lhe interesse: