Bem me quer, mal me quer…

Joana Fonseca

Joana Fonseca

Alguma vez, pétala a pétala tentou descobrir se outra pessoa gosta de si? Quando conhece alguém de novo, costuma perguntar a si próprio se essa pessoa gosta de si? Ou quando se desilude com outra pessoa, já surgiu a pergunta: Será que ele/ela me quer bem? Ou mal?

Todo o ser humano tem a necessidade de proximidade, de estar em relação. E por isso é que procuramos tantas vezes agradar o outro, e desejamos tão intensamente que o outro goste de nós.

Para perceber se o outro gosta ou não de si, primeiro tem de se aproximar, e estar muito atento a todos os sinais. É comunicando que pode perceber se o outro está a apreciar o momento, estando atento à linguagem verbal e não-verbal.

De seguida, se a dúvida persistir, pode, numa conversa privada e num ambiente seguro, perguntar.

Contudo, nem toda a gente tem de gostar de si. Se para si é natural não gostar de alguém, isto é, não simpatizar com toda a gente, também é natural que nem toda a gente goste de si. Esta é uma verdade difícil de entender, porque tomar consciência dela pode implicar algum sofrimento.

Perante esta hipótese talvez o melhor seja procurar aceitar o outro, quer ele goste, ou não, de si.

Está na natureza do ser humano não simpatizar com toda a gente, e por isso, perante esta característica humana, a melhor solução passa por a aceitar.

Quando se procura satisfazer a necessidade de proximidade do outro é essencial ter em conta o auto-cuidado.Perceber se o outro me quer bem é essencial para cuidar de si.

Cada um tem o direito de escolher com quem se relaciona, o problema é que muitas vezes é difícil pôr em prática este direito.

Aprenda a cuidar de si escolhendo quem lhe quer bem. Optar por cuidar de si e aceitar o outro pode ajudar a perceber se o outro “bem me quer, mal me quer…”

2014-07-05T18:05:43+00:00 Julho 5th, 2014|Desenvolvimento Pessoal, Joana Fonseca|
Translate »