Bulimia: quando comer dói!

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Vera Lisa Barroso

Vera Lisa Barroso

A Organização Mundial de Saúde estima que 5 a 13% da população jovem padeça de algum tipo de distúrbio alimentar, onde a Bulimia assume a maior percentagem.

Este desejo descontrolado de comer grandes quantidades de alimentos (geralmente alimentos ricos em açúcar e calorias), na ausência de fome e que pode ocorrer várias vezes ao dia. Este é um problema cujas origens são complexas, manifestando-se por crises compulsivas, durante o qual se torna impossível parar de comer, quase sempre como consequência de um trauma, aflição ou mal-estar profundo… Muitas vezes, o resultado de uma espiral descendente, difícil de parar!
 
Em muitos casos, o alimento é ingerido, como é, sem mastigar. Posteriormente, o sentimento de vergonha que as crises provocam exigem uma culpa secreta, à qual se segue
uma “limpeza interna”: o recurso ao vómito ou uso de laxantes é o preço pago pela maioria dos bulímicos com medo de ganhar peso, até à próxima crise.
Outros compensam com atividade física elevada, álcool e consumo de substâncias. Este ciclo vicioso define principalmente adolescentes e mulheres jovens, como as mais susceptíveis de ter fases transitórias de bulimia, de forma purgativa. As tentativas de controlo de peso que são ou foram frequentemente fracassadas, juntamente com a influência dos média e um ideal de magreza facilitam o aparecimento desta problemática.

Os pais dos bulímicos são frequentemente definidos como ausentes, deprimidos e/ou geradores de conflitos familiares recorrentes, por vezes com presença de episódios de violência.

Para dificultar a identificação de um bulímico, o seu peso pode permanecer bastante estável e a sua actividade sexual normal… O que poderá descansar os menos atentos à sua volta.
O perigo desta compulsão alimentar é que o enchimento rápido do estômago muitas vezes provoca distensão dolorosa, inflamação do revestimento do estômago e até as úlceras. Por outro lado, vómitos repetidos e/ou o violento esvaziamento do intestino através do uso de laxantes e diuréticos, são fontes de distúrbio metabólico. A aspiração de alimentos durante o vómito pode ameaçar as vias aéreas e causar infecções broncopulmonares.
 O alerta é frequentemente atrasado, uma vez que a bulimia pode existir durante muito tempo na vida de uma pessoa, sem que a sua família ou amigos se apercebam disso. Envolve a culpa da pessoa em segredo e onde pode estar muito escondida uma verdadeira depressão.
O prognóstico desta perturbação é relativamente favorável, mas… Precisa de ser identificada.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

0
  Talvez também lhe interesse: