Como comunicar de forma saudável?

Sabia que pode aprender um estilo de comunicação que promove relações ainda mais saudáveis?

Como comunicar de forma saudávelSomos ensinados desde crianças a punir: os maus, a quem não atende as nossas necessidades e valores, os “errados”; Reclamamos demais, criticamos ou ordenamos e não sabemos pedir; Não sabemos comunicar sentimentos; Geramos agressividade sem dar conta; Sentimos culpa ou culpamos o outro.

E tudo isto gera dor psicológica e violência em nós mesmos e em nosso redor, condicionando a nossa qualidade de vida.

Neste modelo de comunicação adquirido, por uma grande maioria, existe pouca margem para a liberdade e a comunicação humana autênticas.

Muitos relacionamentos não dão certo pela cobrança excessiva, porque um deseja encaixar o outro naquilo que sempre idealizou, mas também pela compreensão em demasia. Em ambas as polaridades, a comunicação autêntica fica inviabilizada.

A boa notícia é que existe uma solução alternativa para que possa comunicar pela via da negociação e colaboração. O objetivo é comunicar com uma linguagem conetada, ou seja, que visa a aproximação ao outro.

Vamos por etapas:

1) Convido-o a  desenvolver a sua inteligência emocional de forma a dar um pouco de tréguas à sua inteligência intelectual.

Pode conferir no quadro seguinte como os dois tipos de inteligêngia atuam na comunicação:

Inteligência Intelectual Ameaça

Manipulação

Exigência

Castigo

Defesa

Acusação

Humilhação

Autoritarismo

Culpabilização

Juízos de valor

Punição

Violência

Falta de escolha

 

 

 

 

 

 

VERSUS

Responsabilização

Cosnciencialização

Escuta

Autenticidade

Verdade

Empatia

Resolução de conflito

Satisfação de necessidades

Possibilidade de escolha

Crescimento pessoal

Inteligência Emocional

2) E qual é a sua intenção quando se expressa? É de aproximação ao outro ou quer ter simplesmente razão? Deseja que o outro mude atavés da suas críticas? A crítica, o apontar constante ao outro é destrutivo. Lembra-se de algum momento onde sentiu necessidade em se justificar? A justificação poderá surgir na tentativa de restaurar a “verdade” de quem se sente injustiçado.

Na verdade, quando a situação é de conflito fica difícil não existirem justificações e acusações mas é possivel.

3) Como?

Comunicando bilateralmente de forma autêntica pelos sentimentos e necessidades:

. Observe as ações concretas que está a ver e que afectam o seu bem estar. “Eu estou a ver…”

. Identifique e expresse os seus sentimentos: como se sente em relação ao que observa. “Por isso sinto-me… “

#O que está a outra pessoa a sentir?

. Identifique e expresse as suas necessidades: as que estão a gerar os sentimentos. “porque preciso de…”

#Do que a outra pessoa precisa? Que necessidades estão escondidas atrás desses sentimentos?

. Faça o pedido: que ação ou decisão pediria a essa pessoa para tomar, acreditando que isso a faria viver mais feliz? “será que é possível…”

. Escute e compreenda o outro com empatia.

Mas atenção! A comunicação autêntica ou empática não é ser o “bonzinho” e tentar passar por herói; Acabar por manipular o outro infantilizando-o (empatia não é interpretação); Confundir Julgamentos com fatos, ocultando críticas; Esconder os seus próprios desejos e necessidades para evitar conflito; Não perceber quando é a hora de “calar” e “não agir”.

A comunicação empática requer treino e de preferência envolvendo as pessoas mais próximas de forma a criar relações em reciprocidade.

 

Maria Bartolomeu
Maria BartolomeuPsicoterapeuta corporal. Formadora
Mostrar mais Artigos
2017-06-28T19:25:59+00:00 Junho 28th, 2017|Maria Bartolomeu, Relações|
Translate »