Depressão e blues pós-parto

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Lúcia Bragança Paulino

Lúcia Bragança Paulino

Ter um bebé é por si só stressante! Não interessa o quanto desejou este momento ou quanto adore o seu filho. Existe uma fase imediatamente após o parto denominada Baby Blues, ou Blues pós-parto. É uma fase perfeitamente normal, mas se os sintomas não desaparecem após algumas semanas ou se se intensificam, poderá estar presente uma pós-parto. Este tipo de depressão pode interferir com a capacidade para cuidar do bebé, por isso é extremamente importante que se tenha ajuda imediata. Com apoio familiar e profissional poderá voltar com confiança ao seu papel maternal.

Blues pós-parto

Acabou de ter um bebé. É suposto que esteja a celebrar a chegada do recém-nascido com os seus amigos e família. Mas ao contrário de grandes festejos, só lhe apetece chorar. Estava preparada para alegria e celebração, e não exaustão, e choro.

Poderá não estar preparada, mas a depressão leve e as mudanças de humor são comuns nas mães que deram à luz recentemente. A grande maioria das mães recentes experimenta pelo menos alguns sintomas da depressão pós-parto, nomeadamente tristeza, dificuldade em dormir, irritabilidade, alterações do apetite e problemas de concentração. Os sintomas do blues pós-parto geralmente aparecem poucos dias após dar à luz e duram de alguns dias a algumas semanas.

É assim uma fase normal do período após o nascimento do bebé, provavelmente causado pelas alterações hormonais que ocorrem após o parto. Se passar por esta fase não é caso para alarme, sentir-se-á melhor assim que as hormonas equilibrarem. O apoio dos que a rodeiam é essencial e suficiente para ultrapassar esta fase.

Sinais e sintomas da Depressão Pós-Parto

Ao contrário do Blues a Depressão pós-parto é um problema sério que não deverá ser ignorado. Contudo nem sempre é fácil distinguir entre as duas situações.

No início, uma depressão pós-parto pode ser semelhante ao blues pós-parto. Afinal ambas as situações partilham muitos sintomas, incluindo as alterações do humor, choro frequente, tristeza, insónia e irritabilidade. A diferença está na severidade e maior duração dos sintomas no caso da depressão pós-parto.

Como exemplo de alguns sinais e sintomas da depressão pós-parto é frequente verificar-se:

• Falta de interesse no bebé;
• Sentimentos negativos para com o bebé;
• Falta de interesse em si própria;
• Perda de prazer;
• Falta de energia e motivação;
• Sentimentos de inutilidade e culpa;
• Alterações no apetite ou peso;
• Dormir mais ou menos do que o habitual;
• Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio.

A depressão pós-parto surge normalmente pouco depois do nascimento do bebé e desenvolve-se num período de vários meses. Mas também pode surgir repentinamente, e em algumas mulheres os primeiros sinais só aparecem após vários meses de terem dado à luz.
Como causas da depressão pós-parto são apontadas muitas vezes as alterações hormonais mas também as alterações físicas e o stress.

Estratégias para lidar com a depressão pós-parto

O melhor a fazer se tiver depressão pós-parto é cuidar de si própria. Quanto mais cuidar da sua saúde mental e do bem-estar físico, melhor se sentirá. Simples mudanças no estilo de vida podem ajudar bastante a sentir-se melhor:

Não economize no sono – um total de oito horas pode parecer um luxo inalcançável quando está a cuidar de um recém-nascido, mas a falta de sono faz com que a depressão piore. Faça o possível para descansar bastante, contando com a ajuda do pai ou membros da família para ter tempo de dormir sestas sempre que puder;
Crie tempo de qualidade para si própria  para relaxar e para fazer uma pausa dos seus deveres de mãe. Encontre pequenos prazeres, como tomar banhos de espuma, saborear um chá relaxante, ou acendendo umas velas perfumadas;
Faça das refeições uma prioridade – quando surge uma depressão a nutrição é das primeiras coisas a ser afetada. O que come tem um impacto direto no seu estado de humor, bem como na qualidade do seu leite materno, por isso faça os possíveis por manter uma alimentação saudável e equilibrada;
Apanhe sol – a luz solar levanta o humor de qualquer um, tente apanhar pelo menos 15 minutos de sol por dia;
Regresse ao exercício físico – os estudos científicos demonstram que o exercício físico pode ser tão benéfico como a medicação, no que diz respeito ao tratamento de depressões, assim quanto mais cedo se dedicar ao movimento e exercício físico, melhor. Não é necessário exagerar. Uma caminhada de 30 minutos por dia já faz muito bem;
Procurar apoio e ajuda nos que a rodeiam – não se afaste das suas amizades e da sua família pois podem ser de extrema importância nesta fase difícil; não mantenha os seus sentimentos apenas para si; procure grupos de mães com quem possa partilhar sentimentos, sensações e experiências do processo de maternidade;

Em último caso a ajuda profissional será muito importante em acréscimo aos cuidados pessoais e apoio familiar. A terapia, os grupos de apoio bem como, em alguns casos, a medicação podem ser bastante úteis.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

0
  Talvez também lhe interesse: