Desejos e resoluções

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Ana Beirão

Ana Beirão

E já vamos entrados em mais um ano e com ele os nossos desejos e resoluções para os 365 dias que se apresentam perante nós. Antes da meia-noite no dia 31 de Dezembro existe, para muitos, a tradição das 12 passas de uva, em que por cada badalada, come-se uma e pede-se um desejo. De certeza que existem mais tradições em que a simbologia deve ser parecida, acolher o ano novo com esperança e prosperidade. Há quem pense seriamente no assunto e até faça uma lista daquilo que pretende mudar no seu comportamento no ano que se avizinha, mas até onde é que estas resoluções são realistas e em que medida podem aumentar a ansiedade?

É importante entender que a entrada no Novo Ano serve para as pessoas reflectirem sobre as suas acções e comportamentos no ano que passou e a promessa a si mesmas de mudanças positivas na sua vida. Por isso é preciso reflectir e ser-se realistas nas resoluções, sem cair na tentação de pensar numa mudança radical mal comece o mês de Janeiro onde tudo muda de um dia para o outro. A mudança que acontece nas nossas vidas tem uma viagem própria, com o tempo próprio de cada um, e sendo assim o melhor será traçar objectivos possíveis que possam ser concretizadas ao longo do ano, ajustando-os ao estilo de vida que se pretende. A probabilidade de conseguir alcançar as resoluções a que se propõe é tanto maior quanto o mais realista for.

A Associação Americana de Psicologia sugere então algumas dicas para o/a ajudar a manter as resoluções:

1. Comece por pensar em resoluções que sabe que consegue manter. Uma das resoluções mais comuns é fazer exercício mais vezes e comer melhor. No exercício, faça apenas algumas vezes por semana em vez de pensar que irá todos os dias. Na alimentação, substitua a sua “dieta” por algo mais saudável que também lhe agrade. As resoluções não devem ser punições.

2. Altere um comportamento de cada vez. Os comportamentos pouco saudáveis desenvolvem-se ao longo do tempo e por isso alterá-los requer exactamente isso, tempo. Não precisa de alterar todos de repente. Lembre-se de ser realista, mudando uma coisa de cada vez.

3. Partilhe as suas experiências com a família e amigos. Coloque a hipótese de se juntar a um grupo que lhe ajude a alcançar os seus objectivos. Em Portugal, pode ver, por exemplo procurar nos grupos religiosos e junto da comunidade da sua localidade, as diferentes actividades que dispõem. Ter alguém para partilhar as dificuldades e sucessos permite com que consiga alcançar mais facilmente o estilo de vida que pretende.

4. Não se maltrate, a perfeição é inalcançável. Por vezes existem alguns obstáculos pelo caminho, não se preocupe, acontece. Todas as pessoas têm os seus altos e baixos. Continue a trabalhar nas resoluções que estabeleceu.

5. Peça ajuda. Aceite ajuda daqueles que lhe são próximos e que o/a ouvem, isso vai permitir com que se sinta mais seguro(a) e forte.

Se no entanto, se sentir dominado(a) ou incapaz de alcançar os seus objectivos, considere procurar um profissional. Estaremos aqui para oferecer estratégias que se ajustam aos objectivos que pretende alcançar, assim como ajudar em questões emocionais e na mudança de comportamentos pouco saudáveis.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

0
  Talvez também lhe interesse:

Add a Comment