É possível ouvir críticas sem ficar zangado?

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Hoje proponho-lhe um breve exercício para aqueles momentos em que conseguimos fazer uma determinada tarefa, fizemos o que tínhamos a fazer, temos a sensação de epopeia terminada e, de repente, bum….. eis que surge a crítica! Com razão ou sem razão, quando alguém nos critica , começa a surgir um impeto imediato que nos protege e pretende berrar alto “Nem penses nisso, eu é que sei”… ou algo semelhante que serve principalmente para nos defender!

Será que conseguimos lidar de forma diferente com este monólogo interior e dar tempo para avaliar a crítica e, se for justificado, poder até aprender com ela?

Experimente:

Inspirar. Levando a sua atenção à respiração enquanto respira. Ok , pode também inspirar, e note que existem mais coisas a passar-se consigo do que apenas os reparos do crítico. Vê alguém a criticar a sua respiração? Não. Sabe porquê? Porque ela está sempre certa.

Agora junte a este processo de respiração algumas palavras que lhe lembram que está num contexto mais vasto que o dessa discussão. Você sabe que é mais do que essa troca de palavras que está a ter. Escolha uma qualquer frase, rápida, clara fácil que o ajude e funcione consigo. Poderá ser algo como “Eu sou mais do que isto”.

Volte agora de novo a sua atenção para a crítica; já conseguiu arranjar espaço interno para ver que ela não o ameaça. E provavelmente nem sequer perdeu nada do que se passou; todo este processo de inspirar e expirar, dizendo a frase, durou apenas cinco ou dez segundos, no máximo. Procure agora certificar-se de que percebeu bem a crítica. Pode até pedir à pessoa que a fez para a repetir, e pode acontecer que o outro até mude a forma como a colocou. Mas, o mais importante é essa abertura à crítica que já desenvolveu com esta experiência. Está pronto para aprender.

Seja Mindful!

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

0
  Talvez também lhe interesse:

Add a Comment