Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Marta Cuntim

Marta Cuntim

Marta Cuntim

Sou uma mulher que vive e respira Psicologia. Todos os dias acordo com um sorriso no rosto, porque vou fazer aquilo que gosto! Gosto de lidar com pessoas e do desafio que isso é, do facto de todos os pacientes serem diferentes uns dos outros e de me obrigar a pesquisar métodos e técnicas diferentes para cada um deles. Na prática da psicologia não há monotonia, porque não existem dois dias iguais.

Acredito que ser psicólogo é ser um companheiro de viagem, é “calçar os mesmos sapatos que o paciente”, é dar a mão e percorrer juntos uma jornada que se espera profícua; que culmine com o sucesso psicoterapêutico. Essa mesma jornada deve ser pautada por compreensão, respeito, colaboração e partilha de experiências e sentimentos, que não raramente são escondidos de toda a gente.

A minha abordagem psicoterapêutica é centrada numa perspetiva eclética sobre as problemáticas, no entanto, predomina a teoria Cognitivo-Comportamental e Terapia Narrativa.
Uma vez que a música influencia as nossas respostas emocionais e nos ajuda a pensar e a ultrapassar alguns problemas, partilho convosco um excerto de uma das minhas músicas favoritas:
“Não consigo dominar
Este estado de ansiedade
A pressa de chegar
P’ra não chegar tarde
Não sei de que é que eu fujo
Será desta solidão
Mas porque é que eu recuso
Quem quer dar-me a mão (…)” (António Variações, Estou além)

 

 

Cédula Profissional n.º 12296
Formada em Psicologia pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em 2008, e em Psicologia Clínica, pela mesma universidade em 2010.
Estágio curricular realizado no Departamento de Psiquiatria e Pedopsiquiatria da Unidade Local de Saúde do Alto Minho.

Curso Pós-Graduado sobre “Abuso a Crianças e Jovens”, com a Dra. Teresa Magalhães, em parceria com a Faculdade de Medicina do Porto e o Instituto de Medicina Legal do Porto, com a duração de 36 horas.
A exercer desde 2010, tenho passado por vários contextos.

Iniciei a minha experiência profissional como bolseira de investigação no Sex-Lab, na Universidade de Aveiro. Desde então, trabalhei com crianças, jovens e adultos, quer em contexto de clínica privada, quer em escolas públicas e colégios.

Paralelamente tenho desempenhado funções como Formadora de Formadores e tradutora de Português-Espanhol e Espanhol-Português.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin