Espero que o meu filho consiga aquilo que eu nunca consegui…

Espero que o meu filho consiga o que eu nunca consegui

“Espero que o meu filho consiga aquilo que eu nunca consegui…”

Quando os pais desejam que os filhos cumpram as ambições não realizadas…

A Margarida tem 10 anos, está no 5.º ano e já tem a profissão escolhida. O pai quer que seja arquitecta… Um sonho que ele não realizou. A Margarida diz que um dia quer ser arquitecta, embora não saiba bem porquê, mas desenhar casas sempre foi o sonho do pai, que é quem desenha bem na família!

Esta é uma realidade que por vezes acontece – a passagem dos sonhos e vontades dos pais para os filhos como forma de suavizar a frustração de não terem conseguido atingir determinado objectivo pessoal. E porque muitas vezes a noção do que é um interesse e o melhor caminho a seguir para os adultos se confunde nos interesses e caminhos a seguir dos filhos, pode transformar-se num peso a carregar pelos mais pequenos.

Cada ser humano faz o seu percurso de vida, rodeado de contextos próprios, rede de contactos e referências diferentes, os planos de vida podem ser e são muitas vezes distintos. E isso é natural, não necessariamente uma oposição de quem ainda está a crescer.

Saber aceitar as opções do filho relativamente a projectos futuros, tanto a nível profissional como recreativo, é uma premissa essencial no papel de qualquer educador e pai ou mãe. A melhor forma de acompanhar o desenvolvimento saudável do seu filho passa por ouvir as suas experiências de vida, perceber as suas referências e respeitar aquilo que para ele é importante ou faz sentido no seu percurso. Não deixe de partilhar com ele os seus pontos de vista e a sua maior experiência no que diz respeito aos vários temas e situações com que se vai deparando, mas sempre numa posição de apreço e consideração por aquilo que é a sua vontade em determinado momento ou fase da sua vida.

A imposição de ideias pode significar o início de um confronto de vontades entre si e o seu filho ou um grande peso a carregar por ele se tiver medo de o desiludir, expressando uma vontade contrária ao que são as suas expectativas em relação a ele.

Antes de afirmar “a minha filha vai ser arquitecta”, pense se é mesmo esse o desejo dela.

E boas partilhas em família, com respeito máximo pela individualidade de cada um!

Vera Lisa Barroso
Vera Lisa BarrosoPsicóloga Clínica
Mostrar mais Artigos
2017-03-15T14:35:09+00:00 Outubro 15th, 2014|Crianças & Pais, Vera Lisa Barroso|