Pais afectuosos, filhos confiantes

Cecília Santos

Cecília Santos

Como cada vez mais os desafios do dia-a-dia são maiores e o tempo que resta para passar com o seu filho é cada vez menor, contudo, é importante não esquecer que qualquer criança ou adolescente necessita de afeto e de formas específicas de respostas positivas e aceitação por parte dos pais.

A afetuosidade parental é como que o leme de um barco, que permite às crianças e adolescentes navegarem de forma mais segura, tornando-as mais capazes de enfrentar as tempestades. Se eles sentirem que estão seguros e protegidos, mais facilmente irão explorar o meio, desenvolvendo maior autonomia. Quando falamos aqui em afetuosidade parental, falamos também na disponibilidade e atenção para corresponder às necessidades das crianças. E quando o tempo é escasso, às vezes basta um beijo ou um abraço e uma pergunta como: “O que fizeste hoje? Tiveste um dia feliz? ou um comentário como: “Sei que hoje não te dei muita atenção, mas agora que estamos juntos, podemos conversar sobre o teu dia e fazer uma brincadeira que gostes.”São pequenos gestos e pequenas palavras que podem fazer a diferença na perceção que as crianças têm acerca da atenção, disponibilidade e carinho dos pais.

Sentimentos de afeto favorecem um desenvolvimento psicológico saudável, prevenindo sentimentos de insegurança e falta de pertença. A investigação científica tem demonstrado que sentimentos de indiferença e pouca afetividade, pode comprometer a saúde mental de crianças e adolescentes, potenciando a sintomatologia depressiva, problemas de ansiedade, baixa autoestima e problemas de comportamento. Quando não há uma resposta positiva por partes dos pais, ou quando as necessidades das crianças não são devidamente satisfeitas, elas sentem-se “esquecidas” o que se reflete muitas vezes numa maior instabilidade emocional.

 

Lembre-se que apesar de por vezes estar pouco tempo presencialmente com o seu filho, é importante que ele percecione que os sentimentos de carinho e a sua disponibilidade são constantes:

 

  • Converse (mesmo que o tempo seja escasso) todos os dias com ele acerca do seu dia. Tente perceber como se sentiu, e incentive-o a falar acerca dos seus sentimentos e emoções;
  • Fique atento a pequenas alterações que possam surgir no seu humor e mostre-se disponível para falar acerca dos seus problemas;
  • Elogie e reforce positivamente o seu filho perante pequenas conquistas (quer na escola, quer em casa)
  • Recompense os seus esforços do dia-a-dia. Uma boa forma de recompensar é deixá-lo escolher uma atividade que ele goste e que possam realizar em família.

Invista na qualidade da relação!

2015-03-28T19:28:58+00:00 Março 28th, 2015|Cecília Santos, Crianças & Pais|