Fome ou vontade de comer, eis a questão!

Fome ou vontade de comer, eis a questão

A sua fome é física, ou emocional?  

Sabia que existe mais de um tipo de fome?

Existe a fome física ou biológica, aquela que faz o nosso estômago “falar” e que gera aquela sensação de fraqueza. O corpo fala, sente necessidade de alimento para manter as suas actividades básicas. Essa é a fome que gera sinais de alerta quando precisamos repor nutrientes para funcionar: A fome é um dos estímulos que nos mantém vivos.

Mas existe também a fome emocional. Diferente da fome física, a fome emocional não tem relação alguma com a sobrevivência (ou seja, não cumpre nenhum papel fisiológico).

Conhece aquela sensação de merecer comer algo porque teve o dia correu mal? Ou quando simplesmente se come vorazmente, sem sequer apreciar?

É a fome emocional que está em cena. A fome emocional acontece independente de já estarmos saciados e sem fome física, pois está ligada aos nossos sentimentos, e não ao nosso sistema digestivo. Entretanto, tudo o que comemos é processado pelo organismo de forma igual, e é por isso que grande parte das pessoas que tentam fazer dietas para perder peso e não obtêm sucesso, poderiam beneficiar, e muito, da terapia cognitivo-comportamental. Esta modalidade psicoterapêutica leva em consideração todos os pensamentos e sentimentos por trás do acto de comer, ajudando as pessoas a identificarem os gatilhos da fome emocional e ensinando estratégias para lidar com ela.

Sofia Pais
Sofia PaisDirecção OP Angola; Psicóloga Clínica e da Saúde
Mostrar mais Artigos
2017-03-14T13:24:14+00:00 Fevereiro 14th, 2017|Comportamento alimentar, OP Angola, Sofia Pais|
Translate »