Hiperactividade com défice de atenção 2017-04-01T16:31:19+00:00

O QUE É A HIPERACTIVIDADE COM DÉFICE DE ATENÇÃO?

Tem a certeza que sabe exatamente o que é hiperatividade? E o défice de atenção? E a perturbação de hiperatividade com défice de atenção (PHDA)?

 

Sabe o que é a PHDA?

A PHDA é uma perturbação neurocomportamental, que se manifesta desde cedo na infância e geralmente persiste ao longo do crescimento, no entanto os sintomas podem modificar-se ao longo do tempo.

A PHDA caracteriza-se por um padrão persistente de pelo menos 6 meses de sintomas de Falta de Atenção, de Hiperatividade e/ou de Impulsividade.

 

Não basta ter estes sintomas mas que os mesmos tenham uma intensidade desadaptativa e inconsistente relativamente ao nível de desenvolvimento e que causam défices que surgem frequentemente antes dos 7 anos de idade.

SINTOMAS DA PHDA

  • Dificuldades em prestar e manter a atenção;
  • Parece não escutar quando lhe dirigem a palavra;
  • Não segue as instruções e não termina os trabalhos escolares, encargos ou deveres;
  • Têm dificuldade em organizar tarefas e atividades;
  • Evita, envolver-se em tarefas que exijam esforço mental contínuo;
  • Distrai-se facilmente com os estímulos alheios à tarefa;
  • Perde objetos necessários às tarefas ou atividades;
  • Esquece-se com frequência das atividades quotidianas.
  • Movimenta com frequência as mãos e os pés, move-se quando está sentado;
  • Levanta-se com frequência na sala de aulas ou noutras situações em que se espera que esteja sentado;
  • Corre ou salta em demasia em situações nas quais isto é inapropriado;
  • Têm com frequência dificuldades em jogar ou dedicar-se tranquilamente a atividades de lazer;
  • Anda ou só atua como se estivesse “ligado a um motor”;
  • Fala em excesso.

Your Content Goes Here

Descarregue o manual

Hiperactividade e Défice de Atenção

Hiperactividade e Défice de Atenção

Um pequeno manual de apoio aos pais para clarificar a sintomatologia da hiperactividade e défice de atenção, e oferecer algumas dicas práticas e explicação de jogos simples que podem ser utilizados para a melhoria sintomatológica.

Hiperactividade e Défice de Atenção

Hiperactividade e Défice de Atenção

TIPOS DE PHDA

A PHDA é toda igual?

Existem três subtipos:

  • Tipo Predominantemente Desatento;
  • Tipo Predominantemente Desatento;
  • Tipo Misto

 

Em que são diferentes?

No padrão sintomático.

No Tipo Predominantemente Hiperativo-Impulsivo – persistem durante pelo menos seis meses (ou mais), seis sintomas de hiperatividade-impulsividade, mas menos que seis sintomas de falta de atenção;

No Tipo Predominantemente Desatento – persistem durante pelo menos seis meses (ou mais), 6 sintomas de falta de atenção (mas menos que seis sintomas de hiperatividade-impulsividade);

No Tipo Misto – persistem durante pelo menos seis meses (ou mais) 6 ou mais sintomas de cada um dos tipos anteriormente apresentados.

 

Segundo o DSM-IV-TR (2002) cerca de 3% a 7% das crianças em idade escolar pode ter um diagnóstico de PHDA e esta parece ser mais frequente nos rapazes do que nas raparigas, no entanto estas percentagens podem variar muito de acordo com o tipo de PHDA.

A PHDA é mais provável em crianças cujas figuras parentais apresentam também um quadro de hiperatividade com défice de atenção.

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS

Quais poderão ser as causas da PHDA?

As causas desta perturbação não são totalmente conhecidas. Sabe-se que a estrutura cerebral das crianças com PHDA é normal, embora não produza substâncias químicas suficientes em áreas chave do cérebro que são responsáveis pela organização do pensamento, que podem resultar de causas como:

  • Hereditariedade;
  • Substâncias ingeridas na gravidez (álcool e outras substâncias tóxicas);
  • Lesões no sistema nervoso central;
  • Exposição a chumbo;
  • Problemas familiares;
  • Fatores Sociais.

Onde se manifesta?

Os sintomas podem manifestar-se em diferentes contextos, sobressaindo mais em alguns do que em outros: escola, casa…

E tem consequências graves?

Para a criança

Se não for sujeita a uma intervenção adequada e precoce poderá ter diversas consequências nos diferentes contextos da criança:  poderá baixar o seu rendimento escolar, ter mau aproveitamento, não conseguir controlar o seu comportamento, não conseguir garantir a organização e funcionamento das suas rotinas e consequentemente vivenciar um sentimento de falta de auto-controlo, insegurança, incapacidade de auto-regulação e baixa auto-estima.

Os sintomas de PHDA e a sua manifestação torna por vezes difícil a convivência da criança com os outros, é chamada frequentemente à atenção, começa a ter bastantes conflitos, repreensões. Por tantas vezes que perturba é por vezes injustamente culpabilizada o que leva a que possa sentir-se rejeitada, desvalorizada, o que contribui para que possa construir uma imagem negativa de si própria e baixa auto-estima.

 

Para a Família

Os pais sentem-se frequentemente cansados, impacientes, com dificuldade em lidar com os comportamentos da criança e com as queixas constantes e recados vindos da escolar. Frequentemente esforçam-se e sentem que os seus esforços não permitem alcançar os resultados que desejam. Surgem os conflitos pela exaustão e dificuldade em lidar com os comportamentos e por vezes é inevitável que haja repercussões negativas na relação entre os elementos da família e até da família com outros amigos: os pais sentem que quem os rodeia asocia os comportamentos do filho a má educação, a falta de castigos e regras, a famílias com problemas. A relação entre pais e filho pode asssim ser prejudicada, bem como todo o ambiente familiar.

SOLUÇÕES PSICOTERAPÊUTICAS

Como pode evoluir?

Na maioria dos casos os sintomas persistem desde a infância até pelo menos à adolescência, podendo mesmo persistir na idade adulta. A evolução da PHDA depende das caraterísticas da criança, dos sintomas que manifesta e das consequências dos mesmos na sua vida, da existência de outras perturbações associadas, do ambiente familiar, escolar e social e da intervenção a que foi sujeita e quando foi sujeita.

Intervenção na PHDA

Uma intervenção precoce e multidisciplinar e que envolva todos os contextos da criança, poderá permitir à criança superar as suas dificuldades e desenvolver estratégias para lidar com os sintomas e problemáticas da PHDA, com a colaboração dos agentes educativos que trabalham e interagem diariamente com a criança.

Intervenção com a Escola

Articular com os professores para que criem as condições possíveis e necessárias para ajudar a criança/adolescente a lidar com as suas dificuldades; definir e auxiliar os professores na gestão de tarefas adaptadas às caraterísticas da criança/adolescente;

Intervenção Familiar

Psicoeducação com a família (o que é a PHDA, causas, como se manifesta, consequências); munir os pais e educadores de estratégias e ferramentas que possam ajudar a criança/adolescente a lidar com as dificuldades e consequências da PHDA e a ter sucesso; estratégias para um ambiente familiar equilibrado; gestão da auto-estima da criança/adolescente;

Intervenção com a Criança

Uma abordagem cognitivo-comportamental com: psicoeducação (explicar à PHDA, como se manifesta e consequências); desenvolvimento de técnicas de gestão do comportamento, gestão emocional, controlo da impulsividade, treino de competências sociais, gestão de tarefas; Mindfulness; intervenção através de Neurofeedback.

Em alguns casos poderá ser necessário recorrer a intervenção farmacológica.

phda dicas escola
Translate »