Mais velho e mais feliz?

Um importante estudo publicado no Journal of Clinical Psychiatry mostrou que as pessoas mais velhas relatam ter uma melhor saúde mental à medida que envelhecem. O estudo conduzido em San Diego, Califórnia, entrevistou e examinou mais de 1.500 adultos com idades entre 21-99 anos. Foram avaliadas a saúde física, a função cognitiva e várias outras medidas de saúde mental.

Como esperado, a saúde física e função cognitiva (memória, pensamento, raciocínio) era pior entre os participantes mais velhos, mas os critérios de saúde mental mostraram melhora com a idade. E o resultado deste estudo é compatível com o que outros grandes estudos populacionais já haviam mostrado.

Os autores acreditam que a capacidade dos adultos mais velhos em lidar com mudanças estressantes pode estar entre as possíveis razões para uma saúde mental melhor na velhice. Os mais velhos também têm uma menor expectativa com relação à realidade e parecem ser melhores na regulação emocional e complexo processo de tomada de decisão e resolução de problemas do que os adultos mais jovens. Estudos de imagem cerebral mostraram que os adultos mais velhos são menos sensíveis às imagens negativas ou estressantes do que os adultos mais jovens, o que pode explicar a percepção de maior bem-estar nesta etapa da vida.

Outra grande descoberta deste estudo é que, contrariamente à crença comum, os cérebros de adultos mais velhos que permanecem ativos continuar a desenvolver. É fato que a medida que envelhecemos temos um “encolhimento” do cérebro, mas os idosos que continuam ativos e estimulam sua mente conseguem compensar esta perda, reforçando a conexão entre redes neurais de diferentes partes do cérebro.
Portanto, ao invés de se lamentar por estar envelhecendo, aproveite para se manter bem ativo e estimule seu cérebro, pois há muita felicidade te esperando!

Autora: Júnea Chiari

Se quiser ler o artigo na integra: Paksarian, D, et al. Latent Trajectories of Common Mental Health Disorder Risk Across 3 Decades of Adulthood in a Population-based Cohort. JAMA Psychiatry. Published online Sept. 7, 2016

2017-03-12T10:31:52+00:00 Novembro 4th, 2016|Desenvolvimento Pessoal, Júnea Chiari, OP BH Brasil, Reflexões|