Meu filho é autista, e agora?

Para os pais, receber o diagnóstico de seu filho como autista pode ser percebido com um alívio e uma dor muito grande. Apesar dos sintomas se manifestarem antes da criança completar 3 anos, e de ter um comportamento padrão, o diagnóstico não é fácil.

Geralmente pais levam o filho a vários consultórios médicos para tentar compreender porque seu filho se comporta de forma diferente, na expectativa de que haja uma outra explicação para o fato, apesar de desconfiar que seja autismo, afinal há muita informação na internet sobre os sintomas.

Aceitar que seu filho é diferente é o primeiro e o mais importante passo para ajudá-lo! Aceitar é lidar com a frustração ao perceber que aquele bebê que você amou, cuidou com tanto carinho cresceu e pode não retribuir esse amor, não por mau comportamento ou rejeição, mas devido a um transtorno.

Não só o autista precisa de cuidados, mas os pais e os responsáveis que cuidam da criança também precisam de ajuda! Após o diagnóstico familiares e amigos podem e devem ajudar essa família a lidar com a nova realidade e suas dificuldades.

Existem alguns tratamentos que podem melhorar e muito a qualidade de vida dessa criança e a convivência familiar. O quanto antes começar a estimulação direcionada para o quadro, melhores serão os resultados.

Autora: Luciana Biagioni

2017-03-12T11:01:06+00:00 Março 30th, 2016|Crianças & Pais, Luciana Biagioni, OP BH Brasil|
Translate »