Mitos sobre o stress que aumentam o stress

Todos nós já dissemos alguma vez na vida: “ estou cheio de stress!” ou “ só consigo trabalhar sobre pressão”.

Afinal o que sabe sobre o stress? A sua função? Os seus benefícios? Quando começa a ser prejudicial?

O stress é um fenómeno psicológico e fisiológico, é a resposta natural do nosso organismo (“luta ou fuga”) que nos permite lidar com situações de perigo, de emergência e situações desafiantes.

O que acontece no nosso organismo quando estamos perante situações de emergência ou desafiantes e que são importantes para nós? O cérebro segrega hormonas como o cortisol e a adrenalina, o ritmo cardíaco e a pressão aumentam, dando-nos energia e preparando-nos para agir e lidar com a situação.

Existem ideias pré-formadas sobre o stress que podem interferir na forma como sente e lida com o stress:

  • O stress é experienciado da mesma forma por todos

 

Cada um sente de forma diferente o stress a nível físico e psicológico e o que pode ser fator de stress para uns pode não ser para outros.

 

Mitos sobre o stress

O stress é sempre negativo

Se concordarmos com esta afirmação só nos sentiremos felizes e bem quando não temos stress. O que não é verdade!

O que é importante é a forma como lidamos com o stress. Como tudo na vida é importante alcançar um equilíbrio: Se por vezes o stress é sentido como positivo pois motiva-nos a agir, por exemplo, a concluir o projeto que tínhamos em mão, quando acontece em doses elevadas é sentido como negativo pois afeta a nossa saúde e estado de espírito, assim como o relacionamento com as outras pessoas.

 

Não há nada a fazer quando estamos stressados

Lidar com o stress de forma saudável implica planeamento, estabelecer prioridades e começar por solucionar pequenos problemas e só depois abordar os mais complexos. Se lidarmos “mal” com o stress é difícil estabelecer prioridades e resolver problemas.

 

Se não tiver sintomas isso significa que não tenho stress

A ausência de sintomas não significa a ausência de stress. Por vezes a medicação permite camuflar os sintomas e isso é negativo porque não permite ao organismo acionar comportamentos adaptativos àquela situação.

 

Só quando temos sintomas mais graves é que precisamos dar atenção ao stress

Se acreditarmos nesta afirmação isso significa que não devemos prestar atenção aos sintomas menos graves. Os sintomas menos graves (por exemplo alguma irritabilidade e tensão corporal, dor de cabeça) são os primeiros sinais que nos informam que estamos a entrar em desequilíbrio e que precisamos de começar a lidar com o stress.

 

Como posso reduzir o stress?

Cada um sente e lida com o stress de forma diferente. O que é comum a todos nós é que aprender a lidar com o stress tem efeitos positivos na saúde mental e física. Deixamos alguns tópicos para o/a ajudar a encontrar as suas estratégias:

 

  • A auto-regulação emocional está relacionada com a redução de stress. Em termos neurais significa que ao acalmar a amígdala e os circuitos do stress o corpo e a mente relaxam. Como pode acalmar a amígdala? Através de exercícios de relaxamento bem como algumas técnicas de meditação que ajudam a acalmar e observar com mais calma o mundo dentro de nós e o mundo à nossa volta
  • Exercício físico e alimentação saudável
  • Questione-se sobre a importância que dá ao que lhe causa stress; procure formas alternativas de pensar!

 

 

Para além destas dicas pense no que já faz para reduzir o stress e que funciona: ler livro, caminhar, cozinhar, ouvir musica,…

 

Encontre o equilíbrio que lhe permite ser feliz!

 

(baseado no texto http://www.apa.org/helpcenter/stress-myths.aspx)

Sónia Anjos
Sónia AnjosPsicóloga Clínica
Mostrar mais Artigos
2017-03-18T08:21:01+00:00 Fevereiro 2nd, 2016|Sónia Anjos, Stress|