O corpo e as emoções

Ana Beirão

Ana Beirão

As emoções manifestam-se no nosso corpo. A linguagem corporal ajuda-nos a perceber o que se passa com as pessoas num dado momento, desde de emoções como a agonia à felicidade.

Num estudo recente da Universidade de Princeton, os investigadores tentaram perceber se podemos compreender melhor as emoções de outra pessoa através da expressão facial, ou se pelo contrário a linguagem corporal fornece informação mais fidedigna do que se passa emocionalmente com o outro.

Segundo estes investigadores, quando as emoções atingem uma determinada intensidade, perde-se a complexidade das expressões faciais. Como exemplo, referem o volume de uma aparelhagem, que quando colocada no máximo, o som acaba por ficar distorcido. A ambiguidade das emoções na expressão facial é muita, e por vezes não permite identificar as emoções. Para termos uma leitura mais concreta precisamos de identificar as outras pistas, nomeadamente o corpo.

Esta pesquisa demonstrou que os movimentos faciais, a uma determinada altura, são secundários ao corpo. É no corpo, que obtemos a informação válida quando se experienciam emoções mais intensas. Como é que chegaram a esta conclusão? Foram feitas quatro experiências onde, por exemplo, mostraram fotografias onde o corpo expressava uma emoção e a expressão facial espelhava a emoção oposta. Nesta experiência específica, as pessoas que participaram, acabaram por ser mais influenciadas pela linguagem corporal do que pela expressão facial.

A expressão facial, segundos estes investigadores, não tem um status especial, e não podemos assumir que o que nos comunica é a emoção mais exacta. A expressividade do corpo é tão rica, reflecte o que se passa connosco em determinadas situações e ajuda-nos a identificar como nos encontramos e o que passa.

2013-03-17T18:04:07+00:00 Março 17th, 2013|Emoções|