O esforço das aparências

Aparentemente está tudo bem. Aparentemente.
E esta é a palavra essencial: aparência.

Bom, e a palavra esforço. Agora é só ligar as duas e é provável que encontre na sua vida vários momentos em que se esforça por manter as aparências. No mau sentido? Não, claro que não!

O seu esforço é no melhor dos sentidos. Mas, existe uma parte de si que não está satisfeita ou está mesmo esgotada por ter de manter um esforço diário em que aparentando estar tudo bem, se vai desligando do que precisa.

Confuso? Vou contar-lhe uma história que poderá ajudar a entender a sua vida de forma mais serena e mais ligada à realidade de quem é.

“Havia um homem muito rico que uma das coisas que mais gostava era ser elogiado por outras pessoas. Na sítio onde vivia, já se habituara aos elogios de todos excepto de um homem que nunca o elogiava. Este homem era muito modesto. Então, um dia, o homem rico foi visita-lo e disse-lhe:
– Se eu lhe oferecesse 20% da minha fortuna, fazia-me um elogio?
– Bom, essa parece-me ser uma partilha muito desigual para que fosse merecedor dos meus elogios – disse o homem.
– E se eu lhe desse metade da minha fortuna?
– Nesse caso, estaríamos em igualdade de condições, não veria qualquer necessidade de o elogiar.
– E se eu lhe oferecesse toda a minha fortuna? – perguntou o rico, exasperado.
– Se eu fosse dono de tal fortuna, para que é que o iria adular? – perguntou o homem modesto.
O homem rico voltou para casa furioso, mas no seu íntimo não conseguia deixar de admirar este homem modesto que não lhe fazia elogios.”

Ofereço-lhe três hipóteses de enriquecer o seu mundo de forma Mindful:

1) Ao longo da próxima semana garanta alguns momentos próximo da natureza. Deixe-se ficar a observar com os cinco sentidos tudo o que o rodeia, repare nas cores e nos seus gradientes, nas texturas em que possa tocar, nos sons e cheiros que o rodeiam e envolvem.

2) Quando estiver a alimentar-se, faça-o com consciência do percurso que esse alimento terá feito até estar próximo de si. Sinta a ligação à terra que o alimenta. E, repare se está alimentar-se tendencialmente do que a terra nos dá ou do que as fábricas nos vendem…

3) Olhe para as suas relações. Cultive o seu espaço de intimidade e genuinidade olhando os outros nos olhos. E, sugiro que faça um jogo simples: Telemóveis, televisores, tablet…. longe de si (desligados ou em silêncio) enquanto está com alguém. Experimente.

Aparentemente é fácil. Aparentemente.

Para estar presente momento-a-momento, aprender a viver com maior serenidade, informo-o ainda que, na Oficina de Psicologia, elaborámos o Programa ExperiMente Mindfulness que, ao longo dos últimos anos, tem permitido a muitas pessoas iniciarem uma prática regular de Mindfulness.

As próximas edições do Programa Experimente Mindfulness têm o seu início nos dias:
5 de Abril de 2017

É constituído por 6 sessões semanais, cada sessão tem um custo unitário de 25€ (120€ se pagar conjunto das 6 sessões na inscrição). Decorre em Lisboa e Porto.

Os lugares são limitados, inscreva-se aqui

Autoria

Nuno Mendes
Nuno MendesDirector Clínico
Psicólogo Clínico e Psicoterapeuta
Mostrar mais Artigos
2017-03-07T10:41:01+00:00 Novembro 2nd, 2016|Mindfulness, Nuno Mendes Duarte, Reflexões|