O trabalho do seu filho é testar os limites

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Inês Afonso Marques

Inês Afonso Marques

… O seu trabalho é definir os limites e ensinar a criança a respeitá-los.

Provavelmente já ouviu falar do time-out ou tempo de pausa, como estratégia para eliminar um comportamento desajustado. E do time-in? Estes são momentos de envolvimento e atenção positiva entre pais e filhos que ajudam a criança a sentir-se valorizada, potenciando a manifestação de comportamentos adequados. Estes são momentos que podem ser repetidos vezes sem conta, em que nada mais importa para além da relação e da partilha.

O que pode ser um time-in?

  • Massagens;
  • Brincar – todo o tipo de brincadeira e isso incluí, brincar ao ar livre, brincadeiras criativas e artísticas, ler…
  • Exercícios de relaxamento;
  • Sessões de cócegas, beijinhos e abraços;
  • Partilhas positivas – partilha de palavras, pensamentos e expectativas positivas no final de um dia, antes da criança adormecer.

Na deifinição de limites, que são extraordinariamente securizantes para uma criança, pois ajudam-na a compreender o que é esperado dela:

  • Crie expectativas que sejam adequadas ao nível de desenvolvimento da criança;
  • Desvie-se dos conflitos, por exemplo através de elementos distractores;
  • Defina limites que sabe que conseguirá fazer serem respeitados;
  • Partilhe com a criança as regras, usando um tom de voz calmo e firme, recorrendo a uma linguagem adequada à sua idade.

O castigo pode ser útil nalguns momentos. As estratégias que funcionam melhor, sendo que cada família é uma família diferente de todas as outras, são:

Ignorar. O ignorar deve ser usado em situações pouco graves e em que o bem-estar da criança e dos que a rodeiam não é posto em causa.

Perda de privilégios. Por exemplo, a carteirinha de cromos que habitualmente recebe todas as semanas, a ida ao parque no final da tarde, o fim de semana em casa do melhor amigo

Time-out/tempo de pausa. Particularmente útil em situações em que a criança revela estar a sentir dificuldades em gerir as emoções associadas ao comportamento desajustado. Deve ser usado para comportamentos que a criança já sabe que não são apropriados.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

0
  Talvez também lhe interesse: