Os fantasmas, os monstros e sonhos maus: acordar durante a noite

Autor: Sara Guelha

Acordar de noite e vir ao quarto dos pais é uma ocorrência vulgar no caso das crianças mais pequenas: 30 a 40 por cento das crianças com idades entre os dois e os cinco anos levantam-se de noite com regularidade. Tendo em conta que passam por quatro a cinco ciclos de sono profundo durante a noite, ao sair de um ciclo para o outro podem acordar e assustar-se com o escuro, por estarem sozinhos ou até pela possibilidade de existirem fantasmas e monstros. Para os mais pequenos, precisar dos pais durante a noite está geralmente associado à ansiedade de separação, enquanto para crianças dos quatro aos seis, está ligado a pesadelos ou fantasmas. Entre os seis e os doze só 28% ainda têm pesadelos.

Aqui ficam algumas sugestões a adoptar que poderão ajudar:

Arranje uma luz noturna: arranje uma luz ou uma lanterna para que o seu filho possa colocar debaixo da almofada. Se a luz não for suficientemente intensa, poderá arranjar um interruptor com regulador para diminuir gradualmente a intensidade da luz todas as noites. A ideia é que progressivamente, a luz deixará de ser necessária.

Leve a criança de volta para a cama: se o seu filho vier ter ao seu quarto, leve-o para a cama dele imediatamente e console-o de lá. Diga-lhe na cama dele que ele vai conseguir lidar com o que o preocupa e que se for preciso a mãe e/ou o pai está sempre lá ao lado. Leve-o de volta à cama as vezes que forem necessárias. Não é boa ideia deixar o seu filho dormir consigo quando está assustado, porque isso vai fazê-lo pensar que não é capaz de encarar os seus receios sozinho, provocando insegurança.

Estabeleça um programa de reforços: um programa para recompensar o seu filho com um autocolante por cada vez que conseguir dormir a noite inteira sem vir ao seu quarto será um estímulo. Os autocolantes poderão depois ser trocados por qualquer coisa de especial da lista de reforços. Aqui fica uma maneira de explicar: “Nós queremos que tu te habitues a ficar na cama durante toda a noite. Se te esqueceres e te levantares eu levo-te outra vez para o quarto e se ficares na cama toda a noite , ganhas um autocolante. Quando juntares os autocolantes todos escolhes uma coisa”. Até pode pedir ao seu filho que, previamente, elabore uma lista de recompensas que gostaria de ter.

Seja compreensivo: quando o seu filho tiver pesadelos, vá ter com ele ao quarto, abrace-o e dê-lhe mimos, não o leve para a sua cama. Acenda a luz para lhes mostrar que não há nada de mau no quarto e fale com ele para o acalmar. Explique que toda a gente tem sonhos assustadores de vez em quando e que não são monstros nem fantasmas verdadeiros. Diga-lhe que está ali ao pé dele e que não vai deixar ninguém fazer-lhe mal: Não diga que os sonhos são uma tolice ou que são ridículos, porque a ele parecem muito reais e merece por isso o seu respeito. Deixe o seu filhos falar sobre os sonhos se ele quiserem e assegure-lhe que nada de mau vai acontecer.

Enfrentar os sonhos e pensar em algo bom: se o seu filho tem medo de fantasmas, incite-o a dizer “Vão-se embora, no meu quarto estou seguro” a qualquer fantasma que ele pense estar a ver. Se tem pesadelos diga-lhe que ele pode tentar controlar os seus sonhos de modo a que tudo acabe bem. Incentive-o a contar uma história para que o sonho acabe bem. Sugira que ele pense numa coisa boa, que o faça sentir bem, como umas férias divertidas ou uma brincadeira.

Ajude o seu filho a sentir-se seguro e amado durante o dia: manifeste amor e carinho durante o dia para que ele se sinta amado e protegido. Nunca ameaçe abandoná-lo se ele se portar mal nem diga que o papão ou homem mau o vem buscar.

As crianças carecem de apoio constante. Precisam de aprender a lidar com os medos nas suas vidas e os sonhos são a expressão mais imediata dos seus receios. E repita vezes sem conta que o ama!

2017-04-01T09:49:43+00:00 Abril 17th, 2014|Crianças & Pais, Vários autores|
Translate »