Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Como é a minha personalidade?

Para dar a resposta a esta questão estará a referir-se a um padrão mais ou menos estável de princípios e crenças que são seus, relacionados com sua maneira típica de pensar, sentir, e agir em função dos mesmos. Este conjunto de características a que nos referimos denominamos estilo de personalidade.

Os estilos de personalidade, por sua vez, podem ser vistos como um conjunto de traços que se organizam de determinadas formas. Uma parte significativa do estudo da psicologia incide sobre a forma como estes traços de personalidade e as situações diárias se influenciam.

Como simplificação absoluta vamos considerar que não existem determinados estilos de personalidade (nem traços…) melhores que os outros, assumindo que cada um deles tem as suas vantagens e desvantagens!

Assim, todos nós nos poderemos rever mais ou menos num estilo de personalidade… Será que eu gosto de estar isolado das outras pessoas? Ou tenho medo que me rejeitem e por isso evito contactos sociais? Sou muito indeciso e prefiro que outros escolham por mim? Ou acho que só as minhas decisões é que contam?…. Todos os traços de personalidade se organizam para constituírem a nossa estrutura ao longo da vida e nós vamos conseguindo ter as nossas relações íntimas, os nossos estudos, os nossos trabalhos, as nossas conquistas.

Existe, naturalmente, uma dúvida que se impõe neste contexto: se todos temos estilos de personalidade, então o que são perturbações de personalidade?

Os traços de personalidade mencionados podem, algumas vezes, tornar-se desadaptativos, inflexíveis e a pessoa começa a sentir prejuízo no seu dia-a-dia devido às consequências negativas da sua interacção com os outros e com o mundo.

É importante perceber que uma pessoa pode apresentar traços de Personalidade Dependente, por exemplo, mas isso não constituir uma perturbação de personalidade. Tal só acontece, quando esses traços ocasionam que a mesma pessoa deixe de conseguir funcionar adequadamente, e sinta que é tão desajustada que não consegue realizar nada comparando com o que os outros realizam.

Na comunidade clínica existe alguma controvérsia sobre o que é uma estrutura de personalidade funcional ou disfuncional, mas a questão mais consensual resume-se ao conceito de flexibilidade adaptativa.

No fundo, uma perturbação de personalidade pressupõe que os traços que a pessoa apresenta tiveram boas razões para se irem estruturando ao longo da vida… mas, quando num dado momento se exige que essa estrutura se adapte aos outros e ao mundo, ela não apresenta a flexibilidade necessária para o fazer. Igualmente, a regulação da satisfação das necessidades psicológicas constitui um ponto fulcral na organização da nossa personalidade. Se a nossa personalidade não nos permite agir para uma eficaz regulação, então algumas necessidades começarão a ficar insatisfeitas.

Repare na necessidade que todos temos de estima… a verdade é que todos também temos necessidade de crítica. Se não satisfizermos esta necessidade de crítica e a única satisfação obtida for de estima, acaba por ser natural que nos comecemos a achar acima de tudo e todos!… Já ouviu falar em personalidades narcísicas?

Posto isto, pedimos-lhe que se detenha alguns instantes sobre este pequeno teste de perturbações de personalidade. Não constitui um instrumento clínico de diagnóstico, mas sim um instrumento que lhe permita aferir sobre a possibilidade de ter uma potencial perturbação que possa estar a ter um impacto negativo na sua vida.

Já sabe que a perturbação de personalidade se baseia num conjunto de traços que, combinados entre si, estão a afectar negativamente a sua vida. Têm um largo conjunto de causas e algumas perturbações têm tratamento mais fácil do que outras. Este teste diferencia dez tipos de Perturbação de Personalidade:

Paranóide, Esquizóide, Esquizotípica, Anti-Social, Estado-Limite, Histriónico, Narcísico, Evitante, Dependente, Obsessivo-Compulsivo.


Teste de Perturbações da Personalidade

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin