Princípios negociais para pais divorciados

Autor: Tânia da Cunha

O divórcio não tem consequências negativas por si só. Sabia que crianças de famílias divorciadas “sem conflito parental” estão mais bem ajustadas do que crianças de famílias intactas “com conflito parental”? Quando os pais estão em guerra um com o outro, os filhos perdem a sensação de segurança, sentem-se impotentes e inseguros. Perante o divórcio uma relação tipo “profissional” pode tranquiliza-los em relação à capacidade dos pais manterem as hostilidades sob controlo.

  • Domine os seus sentimentos. Habitualmente costuma dizer-se “Não mistures trabalho com prazer”. Para ser bem sucedido na parentalidade partilhada, experimente expandir a regra: “Não misture negócios com desprazer igualmente. Rudeza, acusações e um temperamento exaltado significam perder o emprego. No “negócio da parentalidade” isto também não o ajudará.
  • As pessoas que fazem bons negócios dizem claramente o que pretendem. Não faça suposições. Evitar suposições significa verificar os seus entendimentos com o outro progenitor. Seja explícito e se necessário ponha tudo por escrito.
  • Os negócios funcionam com boa comunicação. Use a comunicação tipo “profissional”. Os bons princípios da comunicação “profissional” aplicam-se aos pais que estão a construir uma relação de trabalho. Nos negócios, tal como na parentalidade partilhada, a comunicação pode ser conduzida de várias maneiras: pessoalmente, por várias modalidades de correio, por telefone e, por vezes, quando os assuntos complicam muito, através de advogados. Raramente um negócio é conduzido através de uma terceira pessoa (amigos, familiares e filhos).
  • Não desconsidere o outro progenitor. A construção de uma relação de confiança com o pai ou a mãe dos seus filhos implica que você mostre consideração por ele ou por ela. A desconsideração é uma perigosa forma de falta de respeito e pode terminar facilmente em problemas.

Prove ao seu filho que, quando algo é verdadeiramente importante, como sejam a sua saúde e felicidade, os pais conseguem trabalhar em conjunto.

2017-04-01T13:18:35+00:00 Fevereiro 17th, 2013|Crianças & Pais, Família, Vários autores|
Translate »