Regulando o momento com mindfulness

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

“A verdade da vida não é uma meta a alcançar num determinado momento no futuro; é a realidade do passo dado neste preciso instante. Pensar na realidade como uma linha recta, uma progressão linear do princípio ao fim, de causa a efeito, da ideia à realização, é um erro. A realidade é um círculo infinito, e cada ponto da sua circunferência é ao mesmo tempo o centro, o ponto de partida, e o ponto de chegada.”

      Hogen Yamahata

Ana Beirão

Ana Beirão

O Mindfulness é uma prática não religiosa, apesar de ter origens no Budismo, e que permite estar consciente no momento presente, processando pensamentos, emoções, sensações físicas e acções, sem julgamento ou crítica do próprio ou da experiência. Utiliza-se assim muito a expressão “Estar Aqui e Agora” ou “Estar no momento”. Estamos sempre a sentir, a pensar, a ter sensações e podemos fazer muitas coisas simultaneamente, como por exemplo, respirar, ouvir os sons à nossa volta, perceber como é que o corpo se sente quando se senta na relva, como é que mastiga um dado alimento, como pensa sobre uma dada situação, etc. Podemos estar atentos ou focados em imensas coisas. Obviamente que isto não quer dizer que tenhamos de estar cem por cento com atenção a tudo o que se passa à nossa volta, mas quando mais Mindful formos, maior o controlo que ganhamos sobre as nossas vidas.

Num artigo da Associação Americana de Psicologia os autores Davis e Hayes investigaram os benefícios desta prática nas dimensões: afectiva, interpessoal, intrapessoal. Em termos da dimensão afectiva, verificaram que o Mindfulness ajuda a desenvolver uma regulação emocional no cérebro. Promove uma maior consciência metacognitiva, diminui a ruminação de pensamentos e aumenta a capacidade de atenção ao trabalhar a memória. A reactividade também decresce e há um aumento de respostas mais flexíveis (formas mais adaptativas de responder a situações negativas ou geradoras de stress). Na dimensão interpessoal encontraram evidências do aumento de satisfação na relação, na habilidade de responder construtivamente ao stress das relações, de conseguir identificar e comunicar as emoções ao parceiro, os conflitos, a negatividade e a empatia. Na dimensão intrapessoal os estudos demonstraram um aumento das funções associadas à zona prefrontal do cérebro, como o auto-conhecimento, a moralidade, intuição e a modulação do medo.

Aqui seguem alguns dos benefícios do Mindfulness:

  • Auto-controlo,
  • Objectividade
  • Tolerância
  • Serenidade
  • Concentração e a clarividência mental
  • Inteligência emocional
  • Habilidade de se relacionar consigo próprio e com os outros com simpatia, aceitação e compaixão

Lembre-se que para, no momento presente, obter uma maior consciência das suas experiências, é necessário que o faça sem se criticar a si mesmo, a situação e os outros. Se se comprometer com esta prática vai perceber que o seu bem-estar irá melhorar.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

0
  Talvez também lhe interesse: