Sabia que o seu cérebro comunica com a pele?

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Pedro Barbosa da Rocha

Pedro Barbosa da Rocha

A psicodermatologia intervém em condições que resultam da interacção entre a mente e a pele. Actuando através dos sistemas nervoso, imunitário e endócrino, este fenómeno tem sido designado de “ligação cérebro-pele”, e parece estar na base das doenças inflamatórias desencadeadas ou agravadas pelo stress. Dermatologistas de todo o mundo reconhecem que um número muito significativo dos seus doentes apresenta factores psicológicos subjacentes às queixas relativas à pele. Aliás, estima-se que entre 30 e 60% das consultas estão relacionadas com problemas de pele resultantes de factores psicológicos.

O impacto psicológico do stress provoca um desequilíbrio em vários factores corporais que podem colocar em causa componentes vitais da pele, responsáveis pela manutenção da sua firmeza e elasticidade. As reacções inflamatórias em resposta ao impacto emocional do stress podem alterar a integridade e a função de barreira da pele. Sob o ponto de vista endócrino, o stress pode contribuir para o envelhecimento prematuro da pele, através de um mecanismo de aumento dos níveis da hormona do stress (cortisol). Por causar uma constrição dos vasos sanguíneos, o cortisol limita o transporte de nutrientes cruciais para as funções essenciais da pele, como a síntese de colagénio. Indivíduos em stress sofrem, igualmente, de níveis mais baixos da hormona antisstress (DHEA), que beneficia todas as partes do corpo, incluindo a pele.
Exemplos de doenças da pele relacionadas com o stress:

Psoríase. Doença inflamatória crónica que se manifesta sobretudo na pele, por meio do espessamento de manchas, podendo atingir outras áreas, como as articulações ou as unhas.

Eczema. Doença inflamatória caracterizada pelo aparecimento de vermelhidão à superfície da pele, bem como de inchaço, podendo evoluir para o desenvolvimento de pequenas vesículas, contendo líquido e provocando prurido.

Dermatite atópica. Doença inflamatória crónica caracterizada por prurido, vermelhidão, escamação e erupção seca da pele.

Dermatite seborreica. Doença inflamatória caracterizada por escamas oleosas e crostas amareladas, geralmente no couro cabeludo.

Urticária. Reacção da pele caracterizada pelo surgimento repentino de manchas vermelhas, de tamanhos distintos e contornos bem definidos, com relevo e prurido.

No tratamento destas doenças é essencial a articulação entre o dermatologista e o psicólogo, como forma de actuação que permita, por um lado, combater directamente a sintomatologia física e, por outro, perceber os caminhos que as emoções percorrem, em contextos de stress, contribuindo para o autoconhecimento e para o desenvolvimento de estratégias de gestão de stress adequadas ao perfil de cada um e, por conseguinte, para o controlo da exacerbação da sintomatologia em momentos de crise.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

0
  Talvez também lhe interesse:

Add a Comment