Se os pais concordam, os filhos agradecem

Autor: Francisco Gonçalves Ferreira

– Mãe, posso sair com os meus amigos?
– Não, hoje é importante ficares a fazer aquele trabalho para a escola.
– Oh!… Vou pedir ao pai – de certeza que ele deixa.

Vários estudos em psicologia indicam que existe uma forte relação entre os comportamentos de uma criança ou de um adolescente e as dinâmicas da família. Uma destas dinâmicas prende-se com as competências da equipa parental para exercer de forma coerente e coesa a educação dos filhos. Quando os progenitores não são coerentes relativamente às decisões na educação parental, abre-se uma fenda que os filhos têm facilidade em perceber como vulnerabilidade e que pode transformar-se numa lição que nenhum filho tem necessidade de aprender: “Para obter o que eu quero, basta colocar os meus pais um contra o outro”.

Depende da capacidade de resposta dos progenitores aos desafios dos filhos a oportunidade para encorajar ou desencorajar os comportamentos intencional ou involuntariamente destrutivos. Por isso, os pais são mais eficazes se agirem em conjunto. Eis algumas dicas:

Façam uma lista dos problemas que querem abordar com os vossos filhos. Escolham um momento e dediquem tempo para decidir o que fazer.

Decidam quais as consequências mais adequadas para o comportamento problemático.

Decidam em conjunto o que deve acontecer da próxima vez que o problema surgir.

– Comecem por, entre os dois, tentar repetir várias vezes o mesmo procedimento.

– Os filhos irão agora testar-vos, abordando-os em separado. Procedam exatamente como decidiram em conjunto. Sejam claros ao explicar que se trata de uma decisão “dos dois”.

Comecem a valorizar os momentos em que o problema não acontece. Podem fazê-lo conjuntamente ou dizendo ao filho que já -inham comentado com o vosso parceiro que estavam contentes por repararem que o problema estava a diminuir.

Revejam a vossa estratégia com frequência. Analisem em conjunto o que está a resultar e o que não está. Planeiem a manutenção ou a mudança da estratégia.

– Assim que o comportamento problemático desaparecer, combinem discutir o seguinte – em conjunto.

É muito importante e eficaz analisar o problema antes de intervir, estabelecer objectivos claros e delinear uma estratégia, quer falemos de famílias com dois progenitores quer de famílias monoparentais, ou de outras em que exista apenas um educador. É importante saber que existe sempre uma vantagem quando podemos ter o apoio de um parceiro parental, mas que também podemos beneficiar de uma elaboração e avaliação de estratégias que não implica a discussão com a outra pessoa.

2017-03-30T17:39:28+00:00 Setembro 9th, 2014|Família, Vários autores|