Será depressão? Um rastreio que dá respostas

 

Será depressão? Rastreio

A depressão caracteriza-se por um estado prolongado de tristeza e desinteresse pela vida. Quando estamos deprimidos, parece que temos uma nuvem densa de tristeza que cobre a nossa vida. A coisa mais pequena torna-se difícil de fazer e actividades que anteriormente nos eram queridas e agradáveis são abandonadas, ao mesmo tempo que nos sentimos invadidos por um enorme cansaço persistente e falta de energia.

A depressão vem, também, acompanhada de perda ou aumento de apetite, alterações nas horas de sono e diminuição do desejo sexual. Tudo isto começa a funcionar como uma bola de neve e faz-nos acreditar que somos inúteis, sem valor, incapazes, deixando-nos sem auto-estima. Por vezes, nalguns casos, surgem mesmo pensamentos ligados ao suicídio.

Alguns mitos

Existe alguma tendência social para se dizer que as pessoas deprimidas são simplesmente preguiçosas e não têm força de vontade. Porém, isto não é verdade – estar deprimido não é ser preguiçoso ou não lutar por se sentir melhor; muitas vezes, é precisamente o facto de a pessoa estabelecer um padrão de exigência pessoal tão alto que a faz sentir-se a falhar e contribui para que se sinta pior. Além disso, algumas pessoas são mais vulneráveis do que outras à presença de depressão, devido a influências hereditárias ou experiências precoces complicadas.

 

Chamamos, ainda, à atenção para outra questão: muitas vezes, tendemos a assumir que a depressão significa estarmos tristes e achamos que se estivermos tristes, maior será a probabilidade de deprimirmos. Porém, mesmo que não seja agradável sentir tristeza, ela não é sinónimo de depressão. Sentir tristeza é uma emoção adaptativa em resposta a uma perda significativa e informa-nos acerca de necessidade de nos recolhermos e sermos acolhidos por quem gostamos. Permite-nos receber daqueles que nos rodeiam ou dar a nós mesmos colo e conforto às nossas fragilidades. É esta capacidade de nos entristecermos que nos protege de deprimirmos. Isto porque na depressão, o que acontece é exatamente o oposto. Tentamos sistematicamente fugir da tristeza, construir coisas em cima dela para não a sentirmos. Mas quanto mais a procuramos silenciar, mais nos distanciamos desta emoção que é fundamental vivenciarmos perante os acontecimentos dolorosos da nossa vida. Na realidade, quando as emoções estagnam, é como se ficássemos com uma dor engaiolada dentro de nós que não nos deixa libertar da sensação de perda e vazio, nem nos autoriza a procurar outras pessoas. E a energia que mantermo-nos assim nos consome deixa-nos absolutamente exaustos. Independentemente de as opiniões se repartirem quanto à sua origem, sabemos hoje que a depressão se mantém com base no comportamento que decorre de todos estes pensamentos negativos, e de um bloqueio que se forma dentro de nós que nos impede de viver a nossa tristeza de uma forma saudável.

Sintomas

De uma forma resumida, a depressão caracteriza-se pelos seguintes sintomas, geralmente presentes durante mais de duas semanas:

 

Emocionais Físicos
  • Tristeza
  • Ansiedade
  • Aborrecimento/preocupação
  • Culpa
  • Sensação de não ter valor
  • Irritabilidade
  • Desesperança
  • Alterações repentinas de humor
  • Sensação de que nada nos dá prazer
  • Sensação de distanciamento emocional das pessoas que nos rodeiam
  • Sentir-se só
  • Insatisfação com a vida em geral
  • Sensação de vazio

 

  • Perda de peso (sem dieta) ou aumento de peso significativo
  • Diminuição ou aumento do apetite quase todos os dias
  • Insónia ou hipersónia (necessidade de dormir muito) quase todos os dias
  • Inibição/lentidão de movimentos
  • Agitação
  • Náuseas, alterações gastrointestinais
  • Fadiga ou perda de energia quase todos os dias
  • Irregularidades no ciclo menstrual

 

Comportamentais Pensamentos
  • Crises de choro
  • Isolar-se
  • Fechar-se em casa
  • Evitar novas actividades
  • Ataques de zanga
  • Inércia
  • Perda de interesse pela aparência física
  • Ausência de realização de actividades que davam prazer
  • Incapacidade de lidar com as tarefas diárias
  • Diminuição da capacidade de atenção, concentração, memória e tomada de decisão
  • Consumo de álcool e drogas
  • Comportamentos de auto-mutilação

 

  • Sentir-se um falhado
  • Auto-criticar-se frequentemente
  • Pensamento de que não é possível ser ajudado
  • Pessimismo em relação ao futuro
  • Pensamentos sobre a morte e ideias de suicídio
  • Perda de confiança e auto-imagem negativa
  • Pensamento de que se odeia a si próprio
  • Pensamentos enviesados

 

 

Venha ter connosco, inscreva-se no nosso rastreio de Depressão. Tire as dúvidas!

Objectivo: detectar indícios da possibilidade da existência de depressão

Data: Mês de Abril – (a partir de 7 de abril de 2017  do dia mundial da Saúde)

Para quem: Adultos a partir dos 18 anos

Como:

  • 1 Sessão individual de 50 minutos

 

Instrumentos de avaliação:

  • Recolha de informação com base no questionário de rastreio para a depressão. Devolução dos resultados com algumas dicas sobre a depressão e o que fazer

 

Ana Rosa
Ana RosaPsicóloga Clínica
Mostrar mais Artigos
2017-04-06T12:08:42+00:00 Abril 7th, 2017|Ana Rosa, Depressão|