Still in Love

Será que ainda gostamos um do outro?

Será que fizemos a escolha certa?

O que nos mantém juntos?

Já não sinto a mesma paixão… o que será que se passa?

Nalgum momento da sua relação é possível que estas questões (todas?) tenham surgido.

Questionar não é negativo, nem pode por si só significar algo conclusivo relativamente à saúde da sua relação amorosa.

Mas pode significar que na lufa-lufa do dia-a-dia, as prioridades de outros tempos foram dando lugar a respostas muito práticas e funcionais e menos afetivas, que o tempo a dois diminuiu por força das solicitações dessa rotina, que o entusiasmo por se verem já não é o mesmo, que a intimidade perdeu terreno para a televisão, o telemóvel, o cansaço e sei lá mais o quê.

O tempo transforma as pessoas, as experiências moldam comportamentos e pensamentos e sentimento e assim sucede também nas relações amorosas.

Gasta-se o tempo presos a visões do passado, ao que foram, ao que sentiram, ao que perderam.

Procuram-se soluções no passado para problemas do presente e chegam-se a becos relacionais, porque as soluções para os problemas atuais têm de ser descobertas no que existe agora, na pessoa em que cada um se tornou.

Talvez seja esse um dos grandes desafios dos casais, reformular o discurso, para um enquadramento atual, em vez do «Tu não eras assim», «O homem/mulher por quem me apaixonei era…».

E entretanto, por entre tantas frases destas fala-se muito, mas comunica-se pouco ou melhor dizendo, não se falam de coisas úteis, aquelas em que, apesar das dúvidas, aproximam e mantêm junto de alguma forma.

Na verdade, isto é mais comum do que possa pensar e por isso decidimos desenvolver o programa

Still in Love

Um conjunto de 4 sessões bem-humoradas, com exercícios e práticas específicas para casais, com o valor de 39€/sessão.
O grande objectivo é criar um espaço para que os casais possam ter a oportunidade de encontrar respostas para as questões que se repetem e poderem descobrir estratégias para aumentar a sua satisfação com a relação. Nestas sessões também existirá espaço para o romance porque «o amor comanda a vida».

Direcione o foco para aquilo que o faz permanecer na relação. Esses elementos encontram-se no presente com a sabedoria de uma história comum e para a descoberta desses factores que trabalhos neste programa.

E acredite que se questiona, é porque reconhece que é necessário fazer alguma coisa, é porque não está conformado(a) e quer mais para si e para a sua relação.

Inscrevam-se no formulário abaixo no Still in Love:

 

Autora: Ana Oliveira

Psicóloga Clínica e Terapeuta Familiar e de Casal.

[contact-form-7 404 "Not Found"]
Translate »