Vida boa e longa!

Autor: Fabiana Andrade

Aquilo que a maioria das pessoas já sabe sobre o tema é que comer de forma equilibrada, fazer exercício físico, reduzir o stress, o tabaco, álcool e o café, podem ser benéficos para uma longevidade saudável.

No entanto há mais 15 fatores, estudados na Universidade de Stanford, Califórnia que não aparecem normalmente nas referências feitas pelos médicos.

Esse estudo começou em 1921 pelo Dr. Lewis Terman,  e continuou pelos seus seguidores até 2012, ano em que as conclusões foram apresentadas. O estudo foi longo exatamente porque seguiu 1500 pessoas desde a sua infância até a sua morte.

Aqui ficam os fatores encontrados para viver mais e melhor:

1 – nunca se reforme! O estudo demonstra que quem parou de trabalhar e não encontrou hobbies ou outros projetos, envelheceu com pior qualidade

2 – use o fio dental, faz bem ao coração! A utilização do fio dental e uma boa higiene oral, previnem o aparecimento de placa bacteriana. Essa, por sua vez, é responsável pela libertação de químicos responsáveis por diversas doenças cardíacas.

3 – não seja otimista, seja realista! O otimismo em exagero pode levar a que haja a tendência a subestimar riscos, causando longas ausências ao médico e outros comportamentos de risco.

4 – socialize-se sempre! O convívio é um gatilho para benefícios físicos e mentais que prolongam a vida

5- tenha fé! Pessoas que cultivam a sua espiritualidade, vivem mais e melhor.

6 – beba saudavelmente! Vinho tinto, cerveja, whiskey e outros fermentados e destilados podem fazer bem, no entanto, o limite para os seus benefícios é de uma dose para mulheres e duas doses para homens. Essas, diminuem o risco de doenças cardiovasculares.

7 – faça palavras cruzadas! Atividades que exercitam o cérebro mantém a inteligência e prolongam a lucidez. Assim, faça palavras cruzadas, jogue xadrez, faça sudoku e assim que estiver a jogar como campeão, mude de jogo para manter a frescura dos seus neurónios!

8 – faça o que a sua mulher faz! As mulheres vão mais ao médico, comem melhor, fumam menos, envolvem-se em menos acidentes e assim, vivem mais. Seja então mais feminino 🙂

9 – não fique viúvo. As mulheres viúvas vivem mais depois de seus maridos terem falecido, do que os homens viúvos depois de perderem suas esposas. Os homens sozinhos tendem ao caos, por isso, não fique solteiro pelo bem da sua saúde.

10 – não se preocupe com assuntos sem importância. A mágoa, o rancor e o ressentimento, se cultivados, aumentam a produção de cortisol, e essa hormona ataca o coração, o metabolismo e o sistema imunitário.

11 – não confie nos seus genes, só 25% da duração da nossa vida depende deles. 75% depende de si mesmo!

12 – tenha amigos saudáveis, eles ajudam na melhoria dos hábitos de vida!

13 – tenha filhos, sobrinhos, enteados, cães, gatos! Ter uma conexão com alguém mais jovem ajuda a mantermo-nos interessados pelo mundo à volta. O prazer dessas relações ainda tem a capacidade de libertar ocitocina, uma hormona benéfica para a saúde.

14 – seja bom no que faz! A longevidade está ligada ao empenho profissional. Passar anos a dedicar-se e a evoluir em algo que valoriza pode valer-lhe anos de vida!

15 – seja hipocondríaco QB! Quem mais desconfia da sua saúde vive mais, observa melhor o seu corpo e os seus sinais. Viva de um modo preventivo.

 

Além dos 15 pontos propostos pela pesquisa americana, tomo a liberdade de incluir mais um:

16 – Venha à Oficina de Psicologia e trabalhe em direção ao seu bem- estar junto connosco!

2017-03-30T16:49:58+00:00 Abril 1st, 2013|Desenvolvimento Pessoal, Vários autores|
Translate »