Depressão major

Com base nestas perguntas rápidas poderá ter uma ideia se a Depressão Major pode ser algo que o esteja a afectar. De salientar que não é possível nenhum diagnóstico sem uma avaliação personalizada por um profissional de saúde, pelo que os resultados são apenas um sinal prévio quanto à possibilidade de presença desta perturbação.

Se assinalar que tem tido ideação suicida, em qualquer circunstância, por favor contacte-nos imediatamente ou outro profissional de saúde mental da sua confiança.

A prevalência a 1 ano da Depressão Major ronda os 7%, com diferenças elevadas por grupos etários e género. Assim, por exemplo, a faixa etária dos 18 aos 29 anos tem uma prevalência de depressão major 3 vezes superior à que se encontra nas pessoas com 60 ou mais anos. Há 1,5 a 3 mulheres afectadas por esta perturbação depressiva por cada homem.

Campos obrigatórios marcados com *

1.Durante pelo menos 15 dias, sentiu-se em baixo (triste, vazio, impotente) a maior parte do tempo? *
2.Nesse mesmo período de tempo, sentiu uma forte diminuição de prazer ou interesse na maioria das suas actividades habituais, de uma forma consistente? *
3.Assinale as situações que também ocorreram em simultâneo: *

2017-03-31T16:46:28+00:00 Março 31st, 2017|Depressão|

4 Comentários

  1. Luis santos 14/06/2017 at 10:02 - Reply

    penso que bati no funda desta vez.
    desgosto amoroso, extrema baixa autoestima e falta de confiança para dar a volta.
    de rastos…
    não penso em suicídio, mas a dor interna é extrema e incapacitante de me deixar dormir por exemplo.
    as noites são do pior. a solidão é constante.
    amei alguém que não me correspondeu, pois ela também tem um desgosto amoroso por outro.. no entanto prendeu-me pelo sexo, e sempre me procura.
    não consegui afastar-me, e sempre me deixo envolver que nem um cachorrinho. .
    ontem numa conversa de café, e num acesso de ciúmes, simplesmente porque era eu o condutor, terminei a conversa e “ordenei” que fossemos embora dali.
    atacou-me profundamente no meu âmago, e disse-me que não me quer voltar a ver, e está desiludidíssima comigo. tendo-me comparado a todos os outros com quem já esteve.. comparação do pior que possa haver.
    rebaixamento para lá do fundo do poço.
    estou de rastos.

    • Madalena Lobo 14/06/2017 at 11:08 - Reply

      Pelo que nos diz, está a passar um mau bocado complicado! A dor emocional, de uma separação ou rejeição amorosa, activa os mesmos circuitos cerebrais da dor física – é muito real e induz um sofrimento em tudo semelhante a um período de dor corporal, com a desvantagem de não conseguir ser aliviada com um simples analgésico. A boa notícia é que passa – com o tempo (dias, semanas) o organismo vai processando e digerindo aquilo que se passa e retomando a normalidade. A má notícia é que custa, origina sofrimento e convém ter algum apoio especializado.
      Naturalmente, que poderemos ajudá-lo a diminuir a intensidade e duração destes momentos de sofrimento, se assim for a sua opção.
      Entretanto, fazemos votos de que retome bem-estar o mais rapidamente possível.
      Abraço

  2. Fabiana Câmara 18/05/2017 at 13:43 - Reply

    Tenho me sentido muito mal. Não consigo fazer um acompanhamento psicológico por falta de condições. Gostaria de ajuda. Preciso de ajuda.

    • Madalena Lobo 18/05/2017 at 16:14 - Reply

      Iremos responder-lhe por email.
      Abraço,
      Oficina de Psicologia

Leave A Comment

Translate »