Somos uma família, somos companheiros

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Rita Castanheira Alves

Rita Castanheira Alves

Crescemos numa família. Seja ela grande, pequena, com irmãos, pais, avós ou tios, ou apenas uma madrinha ou um tio que cuida de nós.

E seremos uma família ou um conjunto de pessoas que habita na mesma casa?

Ou seremos companheiros?

Tantas vezes, o jantar para fazer, os trabalhos de casa para terminar, a ginástica às Terças e Quintas, o piano à Quarta e o ballet à Sexta, nos fins-de-semana as festas de aniversário ou o serão na casa da avó ou da tia. E quando podemos estar em casa, juntos, na nossa casa, com os filhos, em conjunto sem nada para fazer e tanto por fazer, juntos sem pensar nos trabalhos, no jantar, na ginástica e no ballet?

Ficar em casa com os nossos filhos, expressarmos o que sentimos e como sentimos, rirmos com eles e partilharmos devagarinho e de acordo com o que são capazes de perceber e aguentar, as preocupações da casa, como cada um pode ajudar e como todos juntos podem ser muito mais fortes e vencedores nos desafios que a vida propõe a cada um e a todos.

 

Mais tarde crescemos e é pelo caminho que percorremos como companheiros em casa que continuaremos juntos ou não. É por nos terem conseguido transmitir que precisavam da nossa ajuda quando éramos mais pequenos, que a nossa ajuda é preciosa e que juntos conseguimos e é muito melhor que mais tarde, conseguimos estar quando é preciso, que não pomos em causa deixar o pai, a mãe, o tio ou a tia enfrentarem sozinhos as tempestades difíceis que a vida inevitavelmente nos vai mostrando.

 

É por isso que todos os dias e respeitando a individualidade a que cada elemento da família tem direito, é essencial que seja transmitido a quem cresce que pais e filhos são companheiros nesta vida, que juntos é melhor e mais fácil e que tudo é mais divertido quando o fazemos como companheiros como o que é mais terrível, é um bocadinho menos se formos companheiros nos desafios.

 

E um dia vão lembrar-se como valeu a pena cada brincadeira em que juntos foram companheiros, quando eles já crescidos forem os vossos companheiros. Para rir ou para vos abraçarem e dizerem “ – Estamos juntos, vai correr tudo bem.”

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

0
  Talvez também lhe interesse: