Presença para crescer com o stress

Presença para lidar com stress
Segundo a autora Amy Cuddy, Presença é um estado de nos sintonizarmos com e sermos capazes de expressar confortavelmente os nossos verdadeiros pensamentos, sentimentos, valores e potencial. Não é um modo de ser transcendente e permanente.
É um fenómeno momento-a-momento, que vai e vem.
Presença manifesta-se de duas maneiras.
1. Quando estamos presentes, comunicamos paixão, confiança, entusiasmo confortável.
2. Presença surge quando estamos em sincronia.
Presença manifesta-se como sincronia ressonante, ou seja quando todos os nossos sentidos estão de acordo sobre uma coisa num dado momento. Esta dimensão é verdadeiramente importante na prática de Mindfulness. Ou seja, ao observarmos o que surge momento a momento na nossa experiência abre-se a oportunidade de desenvolvermos uma maior congruência entre os vários aspectos da nossa existência. Para o desenvolvimento da presença é muito importante ampliarmos a nossa capacidade de conhecimento e reconhecimento do conjunto de experiências que vamos sendo.

Quando o fazemos é natural que o nosso foco esteja mais naquilo que somos para nós mesmos e menos em preocupações e desejo de agradar aos outros.

Repare se consegue despertar a sua curiosidade para o desenvolvimento desta autenticidade. Falamos de confiança em si e na sua autenticidade na vivência das várias componentes de si. Confiança sem arrogância, isso é presença.
Falamos então de uma Presença ativa, porque está em contacto com a sua própria história a cada momento, sem dissimulação ou tentativa de ilusão dos outros. Existe mais energia e mais sincronia por acreditarmos nas nossas histórias.

Acreditarmos e possuirmos a nossa própria história

Para que possamos perceber um pouco melhor a que nos referimos nesta questão de narrativa e histórias, a autora estabelece a noção de Self (Eu) autêntico como uma experiência ou um estado e não um traço. No fundo, ninguém vai à procura do verdadeiro self, isso seria uma caça aos gambuzinos.
Numa abordagem que reconhece que toda a experiência é impermanente, também o self:
  1. É multifacetado, não singular (podemos crescer em várias direcções, não somos uma característica em particular)
  2. Se expressa e se reflecte através dos nossos pensamentos, sentimentos, valores, e comportamentos.
  3. Tem dinâmica e flexibilidade logo não é estático nem rígido.
Se estiver então sintonizado com estas dimensões dinâmicas de si e as souber expressar, de forma congruente, é natural que se sinta mais confiante em si. Assim, a única forma de estabelecer real confiança é estando presente.
Através da prática Mindfulness esteja mais Presente como meio de desenvolver a sua confiança e permitir o crescimento das suas ideias e da sua história real (não necessariamente a que conta a si mesmo há muitos anos).

Desenvolva uma atitude de presença e crescimento na relação com o stress

Deixo-lhe um exercício que o vai ajudar a ir treinando uma atitude saudável a propósito do stress. Precisa de 30 minutos, papel e lápis, ou um computador/tablet.

1.Recorde uma situação passada, que tenha sido de stress, mas que agora, à distância, saiba que teve por resultado ensinar-lhe algo de positivo, interessante ou importante, sobre si ou sobre o funcionamento do mundo.

Pense um pouco sobre o que essa situação lhe ensinou sobre as suas forças e competências pessoais e/ou sobre a forma mais útil para si de lidar com o stress.

Tire 15 minutos e comece a escrever sobre esta experiência. Assegure-se de que, no que vai escrever, cobre todos ou alguns dos aspectos seguintes:

  • O que fez, concretamente, que o ajudou a lidar com a situação e a manter-se firme na sua resolução?
  • Que recursos pessoais seus usou e foram mais importantes para o resultado final e/ou para o que aprendeu com a situação?
  • Pediu ajuda, procurou informação ou conselhos?
  • O que é que esta experiência lhe ensinou sobre como lidar com a adversidade?
  • Qual foi o contributo desta experiência em torná-lo mais forte?
  • De que forma é que a sua vida actual é melhor por causa desta experiência?
  • Houve alguma mudança positiva em si e que decorreu de ter tido de lidar com esta situação?

Depois de ter reflectido sobre algo que passou é um bom momento para aplicar as suas reflexões ao presente e futuro. Pense numa situação com que esteja a lidar actualmente, e que seja um desafio e indutora de stress para si.

  • A que recursos pessoais e forças pode recorrer, destes que utilizou no passado com bons resultados?
  • Existem alguns aspectos que gostaria de desenvolver em si – competências emocionais, relacionais, pontos fortes, etc? Em caso afirmativo, como é que os poderá começar a desenvolver e praticar, usando esta situação actual como uma oportunidade de crescimento pessoal?

2. O que lhe importa?

Se o stress for uma reacção quando algo de importante para nós é colocado em causa, então convém saber muito bem aquilo que lhe importa verdadeiramente na vida, certo? Mantendo esses aspectos sempre presentes, evitará ser arrastado para desgaste quando este decorre de coisa nenhuma.

Primeiro, liste os seus valores pessoais. Tudo aquilo que entende ser verdadeiramente importante para si, o que representa propósito na sua vida, que tem um significado fundamental para si. Podem ser atitudes, traços de personalidade, conceitos universais, prioridades, princípios de vida e até comunidades ou movimentos. Coisas que sente que é, que gostaria de ser, como gostaria de viver a vida, ou como a gostaria de partilhar com os outros. Pode ser uma visão geral e de futuro, ou um respirar do momento presente. Pessoal ou profissional. Seja o que for, que ocupe um lugar central na sua vida interna, que tenha uma “bandeirinha de importância” que crie destaque e o faça vibrar. Anote tudo! E, depois, seleccione o top 5 – aqueles sem os quais sente que a sua vida não teria grande sentido ou, pelo menos, perderia parte da sua cor.

Stress e Eu

Conheça o nosso programa online

Agora olhe para a sua agenda do próximo mês. Em todos os momentos significativos, ou mesmo rotineiros, que fazem parte do seu dia-a-dia ou se encontram planeados como momentos específicos, reflicta como é que cada uma dessas situações envolve um ou mais dos valores que anotou. Depois deste exercício, olhe para o que escreveu: o que pode retirar desta reflexão? Como pode estruturar o seu tempo – e a sua vida – de forma mais adequada àquilo que verdadeiramente lhe importa? Como pode dar mais sentido pessoal à sua vida do dia-a-dia, mobilizando mais dos aspectos e valores que lhe são importantes? Com o que é que lhe vale a pena “stressar”?

Desejo-lhe boas escolhas. Sintonizado consigo e presente para a sua vida.
Nuno Mendes Duarte
Nuno Mendes DuarteDirector Clínico
Psicólogo Clínico e Psicoterapeuta
Mostrar mais Artigos
Translate »